segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Cancro da Mama (Testemunho partilhado pela Carina Luis (da Madeira))

OBRIGADO CARINA POR PARTILHAR COM TODOS NÓS A SUA EXPERIÊNCIA

Este é um testemunho contado na 1ª pessoa pela Carina Luis.
Provavelmente haverá pessoas mais cépticas. Mas .... Se o estão poderão ouvir, de viva voz, aquilo que a Carina tem para dizer. Basta contactá-la.

Olá, sou Fábia Carina Faria Freitas Luís, tenho 30 anos, sou Educadora de Infância.
Descobri em Junho de 2009 que estava com uma doença grave. Tinha cancro da mama, grau 3, agressivo e muito raro.
Fiz uma tumorectomia dia 13 de Junho de 2009 que confirmou o dito anteriormente. Foi dito que teria que fazer mastectomia radical modificado (Retirar todo o seio esquerdo), devido a agressividade do mesmo.
Dia 1 de Julho de 2009, fui submetida a esta cirurgia, no Ipo de Lisboa. Fiquei internada e lá uma Senhora, falou-me de uns produtos 4 life, registei sem muito interesse no momento na agenda. Após regresso a Madeira e com o propósito de fazer todos os tratamentos estipulados pelos médicos de lá (decisão terapêutica), Quimioterapia e radioterapia, meu pai conseguiu uns produtos da 4 life para tomar que me iriam ajudar no processo de quimioterapia. Comecei a tomar bellevie, riovida, recall e trifactor plus, em doses acima das estipuladas nas embalagens. Tinha os meus glóbulos brancos alterados após cirurgia, e depois que comecei a tomar os produtos 4 life, minha vida mudou.
As minhas analises estão óptimas, tenho feito com sucesso todos os ciclos de quimioterapia de 21 em 21 dias, sem falhar um único, meus glóbulos brancos estão óptimos e meu medico de cá disse-me que já estou curada, mas terei que fazer os tratamentos porque meu cancro é agressivo e muito raro aparecer, por precaução. Por isso digo, estou eternamente grata a 4 life, e tenho a certeza que tomando estes produtos píra o resto da minha vida, nunca mais terei cancro. Faz parte de meu projecto aqui na 4 life, expandir aquilo que me acontece. Vejo em todos os tratamentos que faço, muitas pessoas em sofrimento, cheias de sintomas devido a quimioterapia, e eu graças a 4 life, não passo mal com os tratamentos, faço a minha normal, tenho um dia a dia comum, como muitas pessoas normais sem qualquer tipo de doença. Fiz quimioterapia o 4 ciclo dia 30 de Outubro, e dia 31, assinei meu contrato na 4 life, estive uma tarde num café falando da 4 life e do impacto destes produtos milagrosos em minha vida, sem qualquer sintoma colateral de uma químio, e atenção, foi me dito que daria possivelmente náuseas, vómitos, diarreias, febre, dores musculares, eu graças a 4 life não tenho nada, pelo contrario sinto-me com uma energia incrível e com a certeza que viverei eternamente grata a 4 life.
Falei dia 31 com o Sr José Carlos Loureiro, por telefone, dei meu testemunho, e ele alem de se mostrar satisfeito pelo impacto dos produtos na minha vida, disse que meu testemunho foi o melhor presente que teve no dia em que faz 1 ano que teve esta oportunidade de conhecer a 4 life, para mim e para ele foram e serão sempre um dia a marcar para o resto de nossas vidas. Agradeço-lhe a este grande homem partir daqui, pois sem ele, os produtos da 4 life possívelmente não estariam expandidos em Portugal, e possivelmente nem a minha mão chegariam. Obrigado a toda a família 4life porque sem ela não teria esta oportunidade de poder enfrentar o momento menos bom da minha vida com este querer e com esta energia para seguir em frente e divulgar com satisfação tudo o que está acontecendo comigo.
Obrigado, obrigado.



Fábia Carina Faria e Freitas Luís
Telemóvel 918697510
E-mail – fabiacarina@hotmail.com


(Publicado com a autorização da Carina Luis)

domingo, 18 de outubro de 2009

Edificando vidas e Mudando o Futuro com a 4Life

Ciência, êxito e serviço são o coração da companhia

Em todo o mundo de hoje as nossas vidas parecem estar ameaçadas em muitos aspectos.
A doença e a obesidade continuam a crescer e os custos com os cuidados médicos seguem essa tendência de aumento.
O desemprego e os índices de bancarrota estão em níveis recorde. Na realidade o nosso bem estar e segurança encontram-se ameaçados.

É isto que define a missão da 4Life, explica o CEO e seu fundador, David Lisonbee
“Os nossos produtos baseados em conhecimentos científicos aumentam a função do sistema imunitário e acabam por melhorar a nossa saúde geral. Para além disso, a companhia oferece muitas formas de conseguir, também, o êxito financeiro e pessoal. E também tentamos atingir todo o mundo que nos rodeia com o nosso serviço”, diz-nos ele. “Somos fieis ao nosso lema: Juntos, Edificando Vidas™”.

Uma Base Sólida na Ciência

A ciência está no coração da 4Life. É o elemento que promoveu a redescoberta e desenvolvimento das moléculas de factores de transferência.
E a investigação continua de forma permanente para conseguir o desenvolvimento de novos e revolucionários produtos que aumentem a função do sistema imunitário e consigam com isso uma óptima saúde.
“Com os factores de transferência abrimos novos caminhos”, diz o Director Cientifico Dr. Calvin McCusland. “A descoberta do nosso primeiro produto esteve na vanguarda da ciência ligada ao sistema imunitário”.
Então, o que são os Factores de Transferência?
São moléculas que actuam como mensageiras dentro do sistema imunitário para ensinar e responder melhor a potenciais ameaças.
“A maioria dos produtos concorrentes contêm ervas, frutos, vitaminas ou minerais que proporcionam nutrição às células”, explica o Vice Presidente de Marketing Trent Tenney. “Os factores de transferência são únicos e proporcionam um tipo de informação molecular que o sistema imunitário necessita para aproveitar a nutrição”.

O constante apoio que está por trás dos 4Life Transfer Factor®, como um suplemento líder è aquilo a que a companhia se refere como “Ciência Transferceutica™”. “Tal como o ouvimos”, afirma o Director de Serviços de Saúde Brent Vaughan, “A Ciência Transferceutica é a investigação e desenvolvimento de produtos que transferem o conhecimento do sistema imunitário para o seu organismo. Estes produtos educam o nosso sistema imunitário para reconhecer, responder a e recordar potenciais ameaças.”

David Lisombee não tem qualquer duvida em definir a Ciência Transferceutica como um principio fundamental da filosofia da 4Life.
“ Tomamos o conceito da Ciência Transferceutica com muita seriedade “, diz ele. “Temos os especialistas mais credenciados, médicos e investigadores em imunologia que fazem da nossa equipa de Pesquisa e Desenvolvimemnto e também dos nossos quadros do Conselho de Ciências Médicas, que trabalham sem descanso para melhorar e expandir a nossa linha de produtos. Além disso os nossos produtos são exclusivos.”, continua.
“ A filosofia de patentes da 4Life é responsável por mais de 17 anos de processos de patenteação e mais de três dezenas de patentes pendentes.”
“ O resultado final”, diz Lisonbee da investigação continuada da companhia para melhorar a imunidade do organismo “é um nível fantástico de bem estar para aqueles que consomem os produtos Transfer Factor® da 4Life. Queremos mostrar ao mundo quão bom é estar saudável. É que quando o sistema imunitário funciona em pleno nós temos a energia e o desejo de nos concentrarmos nas actividades da vida que realmente interessam como correr atrás dos nossos filhos ou netos, ir ao ginásio depois de um dia de extenuante de trabalho ou mesmo sair à noite com o nosso par”.

Produtos Destacados

O resultado da extraordinária base cientifica da 4Life baseia-se nos seus produtos a maior parte dos quais se centra nos benefícios extraordinários e comprovados dos factores de transferência. O produto original da companhia – o 4Life Transfer Factor Classic – foi um êxito total.

“Com o 4Life Transfer Factor Classic abrimos o caminho”, diz o gestor de marca Transfer Factor Amber Benson. “Não só nenhum outro produto lhe equivalia mas também se criou toda uma gama de produtos construída à volta dos efeitos estimuladores do sistema imunitário pelos factrores de transferência”.
“Depois do 4Life Transfer Factor Classic lançámos o 4Life Transfer Factor Plus® que combinou os efeitos estimuladores comprovados do sistema imunitário de várias plantas com os factores de transferência. Os resultados foram espectaculares; demonstrou-se que se podia aumentar a actividade das células assassinas naturais do organismo em 437%”, explica Benson.

Pouco tempo depois a companhia lançou o 4Life Transfer Factor RioVida®, uma bebida funcional revolucionária que associa todos os benefícios dos factores de transferência com uma mistura de frutos e bagas ricas em antioxidantes incluindo a super potente baga do açaí.
“Também temos os produtos Targeted Transfer Factor® que se concentram em sistemas orgânicos específicos, como o coração ou o cérebro e proporcionam benefícios específicos a pessoas de todas as idades, sexo e estilos de vida”, diz Benson.

Agora a companhia deu mais um passo em frente com o lançamento do 4Life Transfer Factor RioVida Burst™, um gel que proporciona toda a qualidade do RioVida mas agora sob uma forma mais fácil de usar.
“A formulação do RioVida e RioVida Burst são praticamente as mesmas: mantém-se toda a potência antioxidante e o reforço do sistema imunitário mas agora com uma apresentação e empacotamento muito mais fácil de usar,” diz o Director de Desenvolvimento de Produto Chad Renshaw.
“No fim”, explica Renshaw, “a gama de produtos 4Life é exclusiva e os seus produtos cobrem todas as necessidades actuais para mantermos níveis desejáveis de saúde.
Os resultados que temos obtido bem como os comentários recebidos são muito interessantes. Não importa quem és. Temos um produto 4Life Transfer Factor que é o adequado para si”.

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Potência dos Produtos 4Life

Ciência, Inovação e Resultados Impulsionam os Produtos 4Life Para o Topo

Enquanto estava a investigar ideias para produtos a serem utilizados como suplementos nutricionais, no inicio dos anos 90, David Lisonbee, CEO e fundador da 4Life, descobriu uma referência quase despercebida a uma patente referenciada como “Factor de Transferência”.


Investigando um pouco mais, a sua curiosidade rapidamente começou a transformar-se em surpresa e intriga à medida que se foi apercebendo que, há mais de 40 anos, o Dr. H. Sherwood Lawrence, um reputado imunologista da Universidade de Nove York, verificou que se podia transferir a resposta imunitária de um dador para um receptor através de um extracto de glóbulos brancos. Lawrence concluiu que o extracto deveria conter um “factor” capaz de transferir a informação imunitária do dador para o receptor. E em consequência disso denominou essa substância como Factor de Transferência.

Lisonbee diz que os factores de transferência ajudam as células imunitárias de três formas fundamentais: reconhecimento das ameaças potenciais como vírus, bactérias, carcinógenos e toxinas, para responder correctamente a estas ameaças e recorda-las da próxima vez que apareçam.

Lisonbee sabia que tinha encontrado aquilo que, potencialmente, poderia alterar o panorama dos suplementos nutricionais.
“ A maioria dos suplementos obtém-se de plantas, ervas ou frutos que fornecem vitaminas, minerais e outros nutrientes do organismo,” explica Lisonbee “o que distingue os factores de transferência dos suplementos nutricionais é o facto de aqueles possuírem a informação essencial sobre como esses nutrientes podem promover e aumentar a função do sistema imunitário no nosso organismo”.

Como é Que Funcionam?

Se, até agora, nunca tinha ouvido falar dos factores de transferência é perfeitamente natural que se questione acerca do modo como funcionam.
O cientista da 4Life Research, Shane Lefer explica-o da seguinte forma.

“A natureza aperfeiçoou uma maneira de proteger os recém-nascidos das patogéneses que surgem. Uma mãe transmite o conhecimento vital do sistema imunitário (recolhido da sua própria experiência) para o recém-nascido nos primeiros dias de vida. Os mamíferos passam esta informação através do primeiro leite materno, chamado colostro, enquanto outras espécies, nomeadamente as aves, a passam através da gema do ovo. Os factores de transferência são componentes muito importantes desta transferência de conhecimento imunológico”.

A melhor parte é que a informação do sistema imunitário contida nas vacas e nas galinhas pode ser transferida, com toda a segurança, para os humanos através das moléculas de factores de transferência e também as de nanotamanho que são uma classe de moléculas mensageiras, muito pequenas, que funcionam em conjunto com os factores de transferência.

Correndo para a Liderança

Ao reconhecer que o colostro bovino e a gema do ovo de galinha eram fontes superiores de informação imunológica, David Lisonbee decidiu desenvolver um produto com base na molécula redescoberta do factor de transferência.
Os resultados foram dois:
O aparecimento de uma nova companhia – 4Life
O seu primeiro produto – 4Life Transfer Factor®

Os primeiros esforços da companhia no aperfeiçoamento dos processos de extracção e no desenvolvimento do produto deram os seus frutos.
Lisonbee explica que a 4Life pôde então patentear os seus processos de extracção de factores de transferência do colostro da vaca e tornou-se pioneira com a patente exclusiva da extracção de factores de transferência a partir da gema de ovo de galinha.
Mais recentemente a companhia optimizou a extracção de moléculas de nanotamanho do colostro de vaca recorrendo a um nanofiltro.
“A nossa ciência e ganhos na formulação foram cruciais para os nossos primeiros êxitos e continuam hoje em dia.
Avançamos para a vanguarda da investigação dos factores de transferência e desenvolvimento de produtos sem olharmos para trás,”
disse Lisonbee.

A formulação do RioVida®, uma bebida revolucionária que combina o suporte do sistema imunitário da fórmula Tri-Factor (factores de transferência do colostro de vaca e gema do ovo de galinha com o extracto exclusivo de moléculas de nanotamanho do colostro de vaca) com a superpotência nutricional de várias frutas produzem também resultados impressionantes.
Os testes de RioVida com outros produtos com a formula Tri-Factor demonstraram um aumento de 73% na produção de imunoglobulina A (IgA) um factor imunológico chave na primeira linha de defesa do organismo.
Agora, com o lançamento da geleia RioVida Burst™ a 4Life oferece aos distribuidores e clientes uma outra opção para desfrutar da qualidade de um suporte imulogógico superior.

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

O Estudo da IgA e Qual o Seu Significado


Será que todos temos a consciência que a "PORTA GRANDE" de entrada de virus no nosso organismo são as mucosas que estão mais em contacto com o ar que respiramos?


Como supomos que a resposta é "SIM" então será muito bom tomarmos consciência e, sobretudo, sabermos o que fazer para evitar esses "ATAQUES".


A 4Life sabia que o factor de transferência podia fornecer uma forma poderosa de suporte imunológico.
Resultados de testes independentes mostraram-no, evidenciando que o 4Life Transfector Plus® podia aumentar a actividade das células assassinas naturais em cerca de 437%.

Investigações recentes mostraram que os produtos com a formula 4Life Tri-Factor podem melhorar significativamente as funções do sistema imunitário de varias maneiras.

A 4Life testou durante 4 semanas em 21 pessoas saudáveis que nunca tinham consumido produtos com factores de transferência os seus produtos da Formula Tri-Factor e 4Life TransferFactor.
Após essas 4 semanas verificou-se que 100% dos participantes mostravam um aumento da produção de imunoglobulina A (IgA) em 73%.
Verificou-se também que quase todos os participantes (95%) mostraram resultados nas primeiras duas semanas.


Será que depois de saber isto irá ficar TRANQUILO?

Pelo menos não desejará saber como poderemos colocar nas nossas mucosas, de uma forma simples mas eficaz, as IgA que nos poderão defender de "ataques" que podem ser "fatais" para o nosso sistema imunitário?

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Será inevitável que venhamos a ter Gripe A (H1N1) ??????




Sobre a Gripe H1 N1, as autoridades sanitárias alertam-nos para o que temos de fazer todos os dias, e de várias formas, para:


evitar a propagação e contágio


  • que nos preparemos para suportar os ataques dos vírus que, INFELIZMENTE, se prevêem sejam cada vez mais fortes.




E como podemos fazer essa preparação?

Antes de mais sugere-se a ingestão de muita água, pelo menos 1,5 litros por dia, já que os vírus se dão melhor em ambientes secos e se mantivermos as vias aéreas húmidas, isso pode desincentivá-los.

Um outro ponto referido como importante para a prevenção prende-se com o nosso SISTEMA IMUNITÁRIO e quais os meios que temos ao nosso alcance para o reforçar.
Na verdade, a melhor forma de reforçar o SISTEMA IMUNITÁRIO seria através da escolha de uma alimentação correcta e saudável…
Mas, porque já constatámos anteriormente, que a ingestão de uma alimentação cuidada e seleccionada POR SI SÓ é insuficiente para fazer a prevenção necessária, eu e a minha família já iniciámos um processo de suplementação para apoiar o nosso Sistema Imunitário.

COMO?

Um amigo falou-nos de um produto natural vindo dos Estados Unidos, onde existe há mais de 10 anos, e que tem a capacidade de reforçar, fortalecer e activar o sistema imunitário de qualquer pessoa (inclusive crianças) a um nível sem precedentes, de tal forma que estudos COMPLETAMENTE INDEPENDENTES demonstraram que essa capacidade pode ser potenciada em cerca de 437%.

É VERDADE. 437%. Parece muito?

Não. É, talvez, a arma que alguns de nós possuirão para evitar que o vírus provoque “estragos” no nosso organismo, já que assim, o nosso sistema imunitário estará alerta e forte.

Se isto faz algum sentido para si, como fez para nós, e se desejar mais informações não hesite. CONTACTE-NOS.

Estamos à sua disposição

Alguns Conselhos para Evitar a Gripe H1N1 (para além de lavar as mãos)

Recebemos esta informação de um amigo brasileiro, que tomámos a liberdade de publicar na integra, que aconselha a tomada de algumas medidas que, sendo perfeitamente lógicas, não temos visto muito divulgadas.

Os conselhos que aqui ficam não são de NOSSA AUTORIA mas sim de alguém que só pode merecer o nosso crédito e aceitação.

Trata-se do

Prof. Dr. Odair Alfredo Gomes
Laboratório Morfofuncional
Faculdade de Medicina - Unaerp


Este foi o texto que ele escreveu apresentado na integra sem alterações de qualquer tipo.

__________________________________________________________

A pedido de um amigo de pesquisas no tempo do nosso saudoso e querido Corsini, do qual fui amigo (nos anos 70) e discípulo no começo dos anos 80 em Imunologia e Genética (Unicamp), vou repassar a todos a maneira mais correta e saudável de enfrentar essa Influenza A (erroneamente chamada de gripe suína).

O melhor que vc pode fazer é reforçar o seu sistema imunológico através de uma alimentação correta e saudável, no sentido de manipular sua imunidade, preparando suas células brancas do sangue (neutrófilos) e os linfócitos (células T) as células B e células matadoras naturais. Essas células B produzem anticorpos importantes que correm para destruir os invasores estranhos, como vírus, bactérias e células de tumores.


As células T controlam inúmeras atividades imunólogicas e produzem duas substâncias químicas chamadas Interferon e Interleucina, essenciais ao combate de infecções e de tumores.
Bem vamos ao que interessa, ou seja quais alimentos são importantes (estimulam a ação do sistema imunológico e potencializam seu funcionamento).

  • Antes de mais nada, tome pelo menos um litro e meio de água por dia, pois os vírus vivem melhor em ambientes secos e manter suas vias aéreas húmidas desestimulam os vírus.

  • Não a tome gelada, sempre preferindo água natural e de preferência água mineral de boa qualidade.

  • Não tome leite, principalmente se estiver resfriado ou com sinusite, pois produz muito muco e dificulta a cura.

  • Use e abuse do Iogurte natural, um excelente alimento do sistema imunológico.

  • Coloque bastante cebola na sua alimentação.

  • Use e abuse do alho que é excelente para o seu sistema imunológico.

  • Coloque na sua alimentação alimentos ricos em caroteno (cenoura, damasco seco, beterraba, batata doce cozida, espinafre cru, couve) e alimentos ricos em zinco (fígado de boi e semente de abóbora).

  • Faça uma dieta vegetariana (vegetais e frutas).

  • Coloque na sua alimentação salmão, bacalhau e sardinha, excelentes para o seu sistema imunológico.

  • O cogumelo Shiitake também é um excelente anti-viral, assim como o chá de gengibre que destrói o vírus da gripe.

  • Evite ao máximo alimentos ricos em gordura (deprimem o sistema imunológico), tais como carnes vermelhas e derivados.

  • Evite óleo de milho, de girassol ou de soja que são óleos vegetais poli-insaturados.

    Importante: mantenha suas mãos sempre bem limpas e use fio dental para limpar os dentes, antes da escovação.

    Com esses cuidados acima e essa alimentação os vírus nem chegarão perto de vc.
    Abraços
    6 de maio de 2009
    (uma pequena contribuição para vc enfrentar essa e qualquer gripe que porventura apareça no seu caminho). Se achar útil por favor repasse aos seus amigos...

    --
    Prof. Dr. Odair Alfredo Gomes
    Laboratório Morfofuncional
    Faculdade de Medicina - Unaerp

sexta-feira, 8 de maio de 2009

ESTUDO SOBRE OS FACTORES DE TRANSFERÊNCIA 4 - Conclusão

A HISTÓRIA DOS FACTORES DE TRANSFERÊNCIA



O doutor H. Sherwood Lawrence descobriu que podia transferir uma resposta imunológica de um hospedeiro a um receptor mediante a injecção de um extracto de leucócitos. Postulou-se que o extracto possuía uma substância capaz de transferir a capacidade imunológica entre receptor e dador.
Lawrence chamou a esta substância de Factor de Transferência, termo agora usado pela comunidade científica. Foram publicados milhares de estudos científicos sobre as propriedades e utilização dos Factores de Transferência.
No início, como se estava a estudar uma nova substância, poder-se-ia esperar tudo – desde uma cura milagrosa até ao falhanço total. A promessa dos Factores de Transferência em se afirmarem como uma resposta aos nossos problemas imunológicos era demasiado boa para ser real. Na realidade várias condicionantes se apresentavam perante os cientistas que estavam a explorar as potencialidades dos Factores de Transferência. Três dessas condicionantes são especiais:


1 - A sua complexidade.


Os extractos de Factor de Transferência contêm mais de 200 Factores de Transferência individuais. Não possuem qualquer padrão químico como os medicamentos standard.
Como na natureza, a sinergia criada entre as partes é a chave. A separação dos componentes individuais de um produto natural diminui as suas propriedades e a sua eficácia. Esse perigo pairava sobre os Factores de Transferência.
A evidência da especificidade de cada componente pode ser observada na descoberta recente de duas moléculas reguladoras do sistema imunitário (IMREG I e IMREG II). Cada uma possui uma função específica para o equilíbrio do sistema imunitário.


2 - O controlo de qualidade.


Este era o segundo obstáculo a vencer. Não existia nenhuma prova de confiança que determinasse a correcta extracção dos Factores de Transferência.
O problema foi resolvido por Wilson e Fudenberg, a quem se lhes outorgou a patente pela descoberta.


3 – As barreiras convencionais


O terceiro problema está directamente relacionado com as barreiras convencionais a vencer quando se introduz um novo conceito ou quando se efectua uma nova descoberta.
Os Factores de Transferência simplesmente não encaixam nos padrões da imunologia convencional.
Podemos traçar um paralelismo entre a Idade Média e a nossa época. No séc. XIV a Peste Negra matou um quarto da população europeia. Muitas tentativas para combater a praga foram bloqueadas devido a inúmeras superstições e crenças convencionais.
Do mesmo modo, as investigações sobre os Factores de Transferência foram afectadas pelos dogmas convencionais da imunologia.
Ainda hoje este facto impede acentuados progressos em muitas áreas críticas.
Num recente simpósio internacional sobre Factores de Transferência, o Dr. D. Viza afirmou o seguinte:



'No final do séc. XX, o triunfo da biologia é inquestionável. No entanto, o triunfo da ciência biológica está longe de estar terminado. O número de vidas ceifadas por doenças como o câncer/cancro continua a crescer e a cura da SIDA continua a fugir-nos. No campo da ciência indutiva, o paradigma dominante raras vezes pode ser questionado mediante um ataque frontal, especialmente quando aparentemente atinge resultados positivos.
Só as chamadas 'revoluções científicas' podem destitui-lo. Não devemos então surpreendermo-nos com a forma algo depreciativa como foram recebidos os Factores de Transferência... a sua suposta forma de actuar contradiz os dogmas da imunologia e da biologia molecular.
Quando os factos questionam os dogmas, seja em religião, filosofia ou ciência, têm que ser reprimidos... porque questionam o paradigma dominante. Mas quando os factos estão relacionados com questões mais graves, a sua repressão deveria tomar contornos criminais. Devido ao fracasso da ciência médica em controlar a epidemia de SIDA e uma vez que Transfer Factor foi utilizado com êxito no combate a infecções virais, poder-se-ia utilizá-lo para minimizar os estragos da doença e atingir resultados muito mais satisfatórios.
Do mesmo modo que existiam evidências que sugeriam uma solução para a Peste Negra, há hoje indícios claros que indicam uma possível solução para as pragas modernas.
O fortalecimento do nosso sistema imunitário é a principal questão de saúde que enfrentamos individualmente (e também como sociedade) hoje nem dia.'

quinta-feira, 7 de maio de 2009

ESTUDO SOBRE OS FACTORES DE TRANSFERÊNCIA 3 - (Cont.)

FACTOR DE TRANSFERÊNCIA E FUNÇÃO IMUNITÁRIA

Para que exista uma boa comunicação entre as células, o sistema imunitário utiliza substâncias similares às hormonas.
Os Factores de Transferência são uma dessas substâncias de comunicação imunológica descobertas recentemente.
Uma resposta imunitária não prevista pode demorar entre 10 a 14 dias a apresentar resultados. Esta demora nem sempre é saudável, como pode verificar qualquer um de nós que tenha já lutado contra uma simples constipação durante semanas.
Os Factores de Transferência podem ajudar porque apresentam características de indutor/ajudante (factores de indução) e uma função supressora (factor supressor).
O factor indutor é a componente do Factor de Transferência que transfere uma resposta imunológica madura a uma célula imatura. Está comprovado que os Factores de Transferência induzem uma resposta imunológica em menos de 24 horas. Se a resposta imunológica for demasiado activa e agir perante agentes inofensivos como o pólen ou as células do nosso próprio corpo, não é uma resposta saudável. A supressão de reacções excessivas ajuda a controlar as alergias e evita doenças auto imunes. Pelas características apresentadas, tanto o factor indutor como o factor supressor são parte integrante de uma vasta rede imuno-reguladora que mantêm em equilíbrio o nosso sistema imunitário.
O colostro (o primeiro leite materno produzido pelos mamíferos) é uma das mais ricas fontes em Factores de Transferência, onde têm como função transmitir ao sistema imunitário do recém-nascido os códigos de reconhecimento que este necessita para identificar e combater os diversos agentes hostis.
Num recém nascido a imunidade inicial estabelece-se rapidamente através do acto de amamentar o bebé. Os recém nascidos que não são amamentados apresentam constantemente uma maior susceptibilidade perante infecções e alergias. As imunoglobinas presentes no colostro podem (e por vezes fazem-no) causar reacções alérgicas noutras espécies. São a fonte da maioria das alergias ao leite de vaca em humanos.

Os Factores de Transferência não são alérgicos.
Como era de esperar desde a sua descoberta, foi comprovado que os Factores de Transferência são eficazes quer por administração oral quer por meio intravenoso.
Também se provou que a administração oral prolongada de Factores de Transferência é segura. Os recém nascidos e os idosos estão entre os grupos de risco perante as infecções e outros ataques.
A administração por via oral de Factores de Transferência é cómoda e de fácil aceitação por estes grupos etário
(continua)

quarta-feira, 6 de maio de 2009

ESTUDO SOBRE OS FACTORES DE TRANSFERÊNCIA - (Cont.)

O QUE É O FACTOR DE TRANSFERÊNCIA?



Transfer Factor é a descoberta mais emocionante realizada na área da saúde nas últimas décadas.


Os Factores de Transferência são pequenas moléculas produzidas pelos organismos com capacidade de transmitir informação imunológica. Têm como missão transferir sinais de reconhecimento Imunológico entre as células do sistema imunitário, ajudando dessa forma a educar as células imunológicas recém criadas para o desempenho de suas funções – reconhecimento e destruição de potenciais agressões ao organismo.


Um recém-nascido, ao se encontrar repentinamente num ambiente hostil e severo, pode ser atacado rapidamente por micro organismos que destruirão essa frágil e nova vida. Para fazer frente a esse perigo, a natureza desenvolveu um mecanismo para educar rapidamente o frágil recém-nascido perante a diversidade de micróbios que existem no meio ambiente, ajudando-o a fazer a distinção entre quais são os bons e quais são os maus.


Antes de dar à luz, o organismo da futura mãe prepara um cocktail de imunizador natural presente no primeiro leite materno (o colostro). Os Factores de Transferência são uma peça chave deste processo.


O Doutor C. H. Kirkpatrick descobriu que estas moléculas são pequenos péptidos de aproximadamente oito resíduos de aminoácidos que se podem combinar para criar biliões de diferentes Factores de Transferência. Estas diminutas moléculas contêm unicamente a essência da informação imunológica. Não provocam qualquer tipo de reacção adversa e não são direccionados para uma determinada espécie. Assim, os Factores de Transferência produzidos por uma vaca são tão eficazes no ser humano como o seriam numa outra vaca.


Esta emocionante característica pode ser o início de uma revolução na medicina e originou a seguinte declaração:


'O Factor de Transferência tem um papel muito importante a desempenhar na medicina moderna, a qual, desde o aparecimento da SIDA até ao Ébola, enfrenta o aparecimento de novos vírus e o ressurgimento de velhas patologias como a Tuberculose.'


Os Factores de Transferência foram usados com êxito no tratamento das patologias relacionadas com:

Vírus Parasitas
Fungos
Doenças Oncológicas
Doenças Neurológicas
Doenças Auto imunes
Visão geral do Sistema Imunitário

O sistema imunitário é composto por mais de um trilião de células com um peso total de cerca de 1 kg. Apresenta três propriedades fundamentais:



1 – Possui a capacidade de reconhecer substâncias estranhas ao organismo, como são os vírus, as bactérias e outros parasitas.


2 – Possui a capacidade de reagir especificamente perante as características dos agentes agressores.


3 – Possui a capacidade de reter informação sobre os agentes agressores, utilizando essa mesma informação no combate a futuras ameaças.

Muitos agentes infecciosos sofrem constantes mutações, o que faz com que o nosso sistema imunitário muitas vezes não os reconheça. Esta é a razão porque somos tão vulneráveis a infecções virais como constipações e gripes. Alguns parasitas também se transformam rapidamente para fugir às nossas defesas imunológicas. Devido a este tipo de mutações, muitas vítimas da malária sofrem ciclicamente com os sintomas da doença.
Cada mutação que altera a aparência de um vírus ou parasita tem de ser combatida por uma reacção imunológica específica. No seio do sistema imunitário existem duas formas de responder perante substâncias estranhas ao organismo:

1–Reacção Imunológica Humoral, que incrementa a produção de imunoglobinas, os chamados anticorpos.


2–Resposta Imunológica Celular, ou imunidade medida por células (IMC). Esta resposta depende da comunicação estabelecida entre os vários tipos de células do sistema imunitário (Linfócitos).

(Continua)

terça-feira, 7 de abril de 2009

Conhecendo Um Pouco da História dos Factores de Transferência

As diversas espécies animais possuem um traço comum: o Sistema Imunológico.
Trata-se de um conjunto de mecanismos orgânicos [células e moléculas] com as funções de perceber, identificar e combater invasores estranhos, e potencialmente danosos, ao organismo sejam eles microrganismos ou substâncias.


Desde os primórdios, que as diferentes espécies vêm acumulando informações imunológicas que lhes permitam subsistir nos seus habitats. Este “conhecimento” é transferido de geração para geração [Imunidade Inata] e aumenta à medida que as descendências tenham que se defender das investidas de intrusos até então desconhecidos de seus Sistemas Imunológicos [Imunidade Adquirida].


A história dos povos revela uma prática generalizada entre os chineses. Eles retiravam material das pústulas de pacientes em processo de recuperação de varíola e, após secar e macerar o material, transformando-o em pó, ministravam-no às crianças por meio de inalação directa. Assim, as crianças que inalassem o tal pó tornavam-se resistentes à varíola. Um exemplo claro de acréscimo de conhecimento do Sistema Imunológico.



No final do século XVIII o médico inglês Edward Jenner fez publicar um tratado sobre vacinação [do latim vaccinus = das vacas]. Jenner observou uma peculiaridade entre raparigas que por ordenhar vacas contraíam varíola bovina. Uma vez recuperadas da infecção nenhuma delas contraiu varíola humana. Essa observação animou-o a injectar no braço de um menino com 8 anos de idade, material recolhido de uma pústula variólica bovina. Após algum tempo, Jenner inoculou varíola humana e constatou que a infecção não se desenvolveu no organismo do menino.



Essa experiência realizada por Jenner também demonstra que a informação imunológica transcende a espécie onde se origina, ou seja, a célula, molécula, substância ou o que fosse o portador da informação do doador, não é rejeitado pelo receptor e mais, as propriedades características da informação imunológica não são alteradas pelo organismo do doador. Mais de dois séculos passados, esta centelha evoluiu para um grande foco de luz na pesquisa de portadores de informação imunológica gerados noutras espécies animais.



A partir da década de ’60 o desenvolvimento de técnicas em cultura celular provocou uma expressiva transformação do conhecimento sobre o Sistema Imunológico e sobre as funções a ele ligadas. O que era uma ciência particularmente descritiva, gradativamente se tornou explicativa dos fenómenos da imunidade sob a óptica estrutural e bioquímica.



A ciência denomina Resposta Imune à acção colectiva e coordenada das células e moléculas do Sistema Imunológico diante da introdução iminente de substâncias estranhas ao organismo. As reacções iniciais de defesa contra micróbios cabem à Imunidade Inata, que é a responsável pela activação das respostas mais tardias da Imunidade Adquirida.



Imunidade Inata

É um conjunto de mecanismos que precedem a infecção. Respondem rapidamente aos micróbios e repetem as reacções quando as infecções são recidivas. Esse conjunto é composto principalmente por barreiras de ordem física e química: epitélios e substâncias antimicrobianas originadas nas superfícies epiteliais; células fagocitósicas; células Matadoras Naturais [NK=Natural Killer]; proteínas do sangue inclusos os membros do Sistema Complemento e outros mediadores da inflamação e; citocinas [proteínas] que coordenam e regulam várias atividades celulares da Imunidade Inata.



Imunidade Adquirida

Assim denominada porque após se haver desenvolvido como resposta imunológica à infecção, adapta- se a ela. As suas características exprimem alta especificidade para a variedade de macromoléculas ao lado de uma “memória” capaz de activar respostas cada vez mais intensas quando o organismo se vê exposto ao mesmo micróbio.



A Imunidade Adquirida compõe-se de linfócitos e seus produtos. As substâncias estranhas que induzem respostas específicas e se tornam alvos dessas respostas, chamam-se antígenos. Há dois tipos de resposta Imune Adquirida. Uma delas é a Imunidade Humoral e a outra é a Imunidade Mediada por Células [Imunidade Celular].



Imunidade Humoral

É mediada pelos anticorpos que são moléculas de sangue geradas por Linfócitos B. Os anticorpos têm por objectivo o reconhecimento específico dos antígenos microbianos, neutralizando a infecciosidade dos micróbios e marcando-os para a eliminação via mecanismos efetores. É o principal mecanismo de defesa contra os micróbios extracelulares e suas toxinas.



Imunidade Celular

A mediação é feita por células chamadas Linfócitos T. Microrganismos intracelulares, como os vírus e algumas bactérias, sobrevivem e multiplicam- se no interior dos fagócitos e de outras células do hospedeiro, tornando-se inacessíveis aos anticorpos circulantes. A defesa contra essas infecções é uma função da Imunidade Mediada por Células, que destrói os micróbios alojados em fagócitos ou acciona a lise das células infectadas.

segunda-feira, 6 de abril de 2009

FACTORES DE TRANSFERÊNCIA

Sabe o que são Factores de Transferência?

Se sabe óptimo. Embora nos pareça que deva continuar connosco pois pode sempre dar uma ajuda com a sua imprescindivel colaboração.

Se não sabe óptimo na mesma. Vai poder a partir de agora saber MUITO sobre este assunto.
E desde já lhe digo que o que aqui vai poder recolher, para alem de lhe ir fazer muito sentido, poderá ajudar a entender muita coisa que era um pouco "obscura".

Vamos, a partir de agora, publicar algumas peças sobre o assunto em apreço.
Será bom segui-las. E porque não divulgar junto dos amigos. Estamos certos que seria um óptimo serviço que lhes prestaria. E eles irão, de certeza, agradecer-lhe.

segunda-feira, 30 de março de 2009

A saúde pela água

INTRODUÇÃO


Sabia que muitas pessoas têm problemas de saúde provocados pela falta de água no organismo?
Mas, sem saber, vivem tomando remédios, gastando dinheiro e intoxicando-se com drogas, tentando curar esses problemas, sem conseguir, é claro. Precisam de água e não de remédios. Somente tomando bastante água poderão resolver seus problemas de saúde. Será que você está entre as pessoas que bebem pouca água?



BEBER BASTANTE ÁGUA


O seu corpo é formado de mais de 65 % de água. E essa água precisa ser renovada continuamente, a cada hora. Todo o funcionamento do seu organismo depende da água: as reacções químicas, a respiração, a circulação, o funcionamento dos rins, a desintoxicação, a digestão, os sistemas de defesa, a pele, enfim, tudo que é necessário para manter a vida. Quando falta ou existe pouca água no corpo, todo o funcionamento do organismo fica prejudicado. Beber bastante água todos os dias, faz com que o organismo fique mais equilibrado, mais resistente, funcionando melhor em todas as suas áreas, e também contribui para a cura de qualquer problema de saúde existente.


OS PREJUÍZOS DE BEBER POUCA ÁGUA


O organismo, recebendo pouca água, fica desidratado. Cansaço, indisposição, pele seca, cabelos secos, dores de cabeça, problemas digestivos, inflamações, cistites, formação de cálculos (pedras), alterações da tensão arterial, da circulação, do sistema hormonal, irritabilidade, insónia, são alguns exemplos do que pode acontecer a quem bebe pouca água.
Na falta de água, fica prejudicado o sistema natural de limpeza e desintoxicação do organismo. Esse sistema é indispensável para a saúde, mas só funciona se existir grande quantidade de água. Acha que conseguiria fazer uma limpeza em sua casa com apenas 1 ou dois copos de água ? Claro que não. O organismo também não. Se a água é pouca, não é possível fazer as eliminações e limpezas necessárias. Assim, ficam retidas dentro do corpo substâncias tóxicas, prejudiciais, contribuindo para o aparecimento das mais variadas doenças.


QUE QUANTIDADE DE ÁGUA DEVE BEBER POR DIA ?



Pois deve beber de 2 a 4 litros de água por dia (8 a 16 copos). Nunca menos de 2 litros (8 copos). A quantidade depende da temperatura do dia, da actividade que realiza, se faz muito ou pouco esforço físico, se trabalha exposto ao sol ou à sombra. De qualquer forma, nunca pode ser menos de 2 litros por dia.



COMO SABER SE A QUANTIDADE DE ÁGUA QUE TOMA É SUFICIENTE


Existem dois sinais fáceis para você saber se a quantidade de água que bebe está suficiente:
1- A quantidade de urina que você elimina.
2- A cor da sua urina.
Quando a quantidade de água é suficiente, a urina é eliminada em grande quantidade e com cor clara, quase tão transparente como água. Se a sua urina é pouca e de cor escura, o seu corpo está a avisar que precisa de mais água, mesmo que esteja bebendo 2 litros por dia. É sinal que você precisa de mais, quem sabe, 3 ou 4 litros.


COMO BEBER ÁGUA?


A água deve ser bebida ao longo de todo o dia. Bebe um ou dois copos, pela manhã, ao acordar; ao deitar à noite; durante o dia, de uma em uma hora. Beba água mesmo que não tenha sede, pois isso não significa que seu organismo não precisa de água. O ideal é não beber com as refeições. Beba meia hora antes e uma hora após as refeições. Muitos não bebem água porque esquecem. Por isso, coloque a água ao seu alcance: no local de trabalho, na sua mesa, no quarto à noite, na viagem, de maneira que a veja sempre e se lembre de a beber. Aos poucos vai se acostumando até já não se esquecer e sentir falta dela.


E TEM QUE SER ÁGUA ?



Sim, têm que ser água. A água é o líquido ideal para a hidratação do organismo e não deve ser substituída por outros líquidos, tais como refrigerantes, alguns tipos de chá e sumos.



CONCLUSÃO




Entenda a importância de beber 2 a 4 litros de água por dia. A sua saúde vai mudar.
Muitos problemas que sente poderão desaparecer somente por passar a beber a água que o seu organismo precisa.
Tome a decisão: vou beber 2 a 4 litros de água por dia.
Vou beber 1 copo de água de uma em uma hora, mesmo que não tenha sede. Vou manter meu corpo bem hidratado.
Água é vida. Água é defesa. Água é desintoxicação. Água é boa disposição.



Água é saúde.

terça-feira, 24 de março de 2009

Chá previne AVC

Beber três chávenas por dia reduz 21 % do risco·


Estudo realizado a 195 mil pessoas de seis países.
O consumo de três ou mais chávenas de chá por dia reduz·21 por cento o risco de ter um AVC (acidente vascular cerebral). A conclusão é de um estudo realizado a cerca de 195 mil indivíduos de seis países e organizado pela Universidade da Califórnia, Los Angeles, nos Estados Unidos. A investigação, que contou com o apoio do Lipton Institute of Tea, decorreu nos Estados Unidos, Austrália, Japão, China, Holanda e Finlândia e comparou indivíduos que consumiam uma chávena de chá com os que bebiam três ou mais por dia.


Com este estudo acrescenta-se mais um beneficio ao consumo de chá preto e verde, além dos já conhecidos:"Têm uma acção desintoxicante e purificadora, são ricos em antioxidantes, promovem o bom desempenho cognitivo, fomentam a boa saúde oral e são muito ricos em catequinas (sobretudo o chá verde), capazes de reduzir a gordura na zona abdominal".


A investigação, que analisou mais de 4300 AVC, permite concluir que estes chás protegem várias funções cerebrais. "A estrutura química da teanina ajuda a preservar o entotélio - parede, dos vasos sanguíneos - cerebral, demonstrando também um poderoso efeito neuroprotector", explica um especialista. E recorda um estudo realizado nos Estados Unidos, que envolveu mais de 20 mil indivíduos, e que conclui que "os consumidores de chá têm normalmente um estilo de vida mais saudável que os consumidores de café".


Além de teanina e antioxidantes, o chá contém também cafeína, mas em menor quantidade que o café. E, embora ainda haja quem diga que a cafeína faz mal, "há estudos científicos que indicam que o seu consumo moderado pode ter efeitos benéficos no cérebro". "Pode ajudar-nos a ter mais concentração".



Resultados de alguns estudos




As mulheres consomem mais chá que os homens.
Chá preto: 61% mulheres e 39% homens
Chá verde: 65% mulheres e 35% homens
FONTE: MILLWARDBROWN, AGOSTO 2007 (AMOSTRA soo PESSOAS)



O segmento de chás verde tem um crescimento de vendas de 17%, o crescimento do chá preto está estagnado, embora tenha aumentado nos últimos dois meses de 2008. FONTE: NIELSEN, 2008

segunda-feira, 23 de março de 2009

Obesidade preocupa saúde a nível mundial


CONTROLO DE PESO EFICAZ




Certifique-se que bebe, pelo menos, oito copos de água por dia, para eliminar as toxinas e apoiar a digestão e, terá assim a fórmula para o sucesso!




A epidemia da obesidade está à frente de todas as preocupações de saúde a nível mundial: na UE mais de 50% dos adultos têm excesso de peso e as taxas de obesidade deverão duplicar durante os próximos 30 anos. As pessoas estão, portanto, cada vez mais preocupadas com a procura duma forma duradoura e eficaz de controlar o peso. Mas, não há duas pessoas iguais.




Individualização

A minha experiência com milhares de pacientes, durante os últimos 25 anos, ensinou-me que um único plano de controlo de peso não serve para todos. As abordagens individualizadas, para ficar em forma, resultam melhor - abordagens em que as pessoas utilizam programas adaptados às suas próprias formas e constituição corporal, abordagens que se adaptem aos seus estilos de vida e personalidades.
O peso saudável baseia-se na sua massa corporal magra, que inclui os seus músculos, ossos, minerais e outros tecidos não gordos do seu cor­po. Eu acredito que um programa de controlo de peso verdadeiramente eficaz deverá focar-se não no peso, mas sim na constituição corporal e considerar uma análise personalizada da massa corporal magra do indivíduo, em vez do objectivo arbitrário e uniforme de quilos perdidos.


Proteínas


Os níveis personalizados de proteína desempenham um papel fundamental no controlo de peso, porque eles ajudam a formar massa corporal magra. Quanto mais massa corporal magra tivermos, mais elevado será o nosso metabolismo e mais calorias queimaremos.
A proteína de soja é facilmente digerível e é a proteína vegetal de maior qualidade. De acção prolongada e metabolização lenta, também contém antioxidantes. A proteína animal não nos é prejudicial se for consumida com moderação, mas em demasia pode introduzir calorias e gordura desnecessárias nas nossas dietas.
E, não se esqueça dos outros ingredientes importantes de qualquer dieta equilibrada: hidratos de carbono, gorduras, vitaminas, minerais e fibras. A maioria das pessoas pensa nos hidratos de carbono como sendo alimentos com amido, tais como, o pão e as massas, e algo a evitar, assim como as gorduras o foram em tempos. Na verdade, existem alguns hidratos de carbono, tais como, massa refinada, pão branco, batatas e arroz branco, que são rapidamente transformados em açúcar e depois armazenados como gordura se não os consumir como energia. Mas, existem hidratos de carbono bons que libertam energia lentamente e ajudam-nos a manter os nossos níveis de energia constantes ao longo do dia. Por exemplo, a fruta e os legumes também são hidratos de carbono bons e desempenham um papel vital em qualquer dieta de melhoria de bem-estar - inclua fruta e legumes frescos vivamente coloridos, tais corno, pimentos, tomates e espinafres - alimentos de base duma boa dieta mediterrânica.
Em relação às gorduras, mais uma vez, elas são necessárias à dieta, mas mantenha-se fiel às gorduras “boas” - Ómega 3 e ácidos gordos essenciais, tais como, peixe gordo e azeite.



Forma


Finalmente, não descuide a escultura corporal. A forma do seu corpo está relacionada com a sua gordura corporal e, a localização dessa gordura está directamente ligada à forma como irá perder essa gordura e como poderá ser a sua forma pessoal. Compreender a sua forma é o primeiro passo para o domínio dos seus esforços de controlo do peso. A gordura corporal na parte de baixo do corpo é um órgão especializado, determinado principalmente pela resposta do corpo às hormonas femininas. A gordura no meio do corpo é também especializada. Esta gordura armazena energia para emergências, respondendo às hormonas do stress, e ajuda-o a adaptar-se aos ataques de fome, controlando a fome. Mas, quando tem excesso de peso e muita desta gordura no seu corpo, isto pode conduzir a riscos de saúde relacionados com o peso. Se se identifica com esta descrição, a actividade moderada regular é vital, como por exemplo, a natação, andar a pé e o ciclismo. As pessoas que têm excesso de peso na parte de baixo do corpo precisam de incluir exercício físico com treino de musculação e exercícios cardio continuados, tais como, andar depressa ou correr, para ajudar a queimar calorias ei gordura extra.





Entrevista dada por Dr. David Heber, Médico Director do Centro de Nutrição Humana, Universidade da Califórnia.

sábado, 21 de março de 2009

As Crianças são o Melhor do Mundo


Realmente, supomos que isto se passa com todos nós, acreditamos e defendemos que as crianças são o melhor do mundo. Então temos que ter sempre em atenção, entre outras coisas, o que a seguir se expoe .





Portugal é o segundo país da Europa com mais crianças gordas e a sofrer de obesidade. Itália está à frente do nosso país, seguindo-lhe Espanha e Grécia .



Relatórios da Organização Mundial de Saúde (OMS) indicam que o sobrepeso e a obesidade infantis aumentaram dramaticamente nas duas últimas décadas.
Portugal é o segundo país da Europa com mais crianças gordas e a sofrer de obesidade. Num estudo levado a cabo entre Outubro de 2002 e Junho de 2003 por investigadores portugueses, publicado numa edição do "American Journal of Human Biology", só a Itália se coloca à frente de Portugal, seguindo-lhe Espanha e Grécia.


Prevenção


Por este motivo a prevenção assume um papel preponderante, tornando-se urgente na população portuguesa ter mais atenção à promoção da nutrição saudável e actividade física durante a infância e adolescência, salientam os autores, que sugerem a acção de um programa nacional para controlar a obesidade infantil.
Os autores deste estudo constituem um grupo multidisciplinar. Cristina Padez, a coordenadora, é do Departamento de Antropologia da Universidade de Coimbra; Pedra Moreira, da Faculdade de Ciências da Nutrição do Porto; Isabel Mourão, do Departamento de Desporto da Universidade de Trás-as-Montes e Alto Douro; Teresa Fernandes, do Departamento de Biologia da Universidade de Évora; e Vítor Rosado, do Instituto de Investigação Científica Tropical.
Em diversas facetas de um conjunto de vários estudos se vê que desde 1970 os meninos portugueses têm vindo a ganhar massa corporal porque a população foi tendo acesso a alimentos de maior valor nutricional, como leite, carne e ovos, mas também mais gorduras e açúcares.
Todavia, apenas em 1992 as mudanças no peso começaram a ser diferentes das mudanças na altura. Na amostra representativa de 4.511 crianças entre os sete e os nove anos, os cientistas encontraram 31,5 por cento de crianças com excesso de peso. Desses, 11 ,5 por cento eram obesos.


Rapazes são mais gordos


Um estudo da OMS registou um aumento médio de peso de 92 por cento nos rapazes e de 52 por cento nas raparigas entre 1981 e 1996, período em que a prevalência da obesidade duplicou em ambos os sexos.
Não se trata, porém, apenas do excesso de comida com altos valores nutritivos que engorda as crianças portuguesas. Acreditam que as crianças acompanhem a tendência para serem pouco activas e que isso seja uma das causas do excesso de peso, que aumenta o risco de diabetes do tipo 2, hipertensão e outras doenças associadas à obesidade e à falta de actividade física.


Baixa de auto-estima


De acrescentar que a obesidade infantil deixa marcas indeléveis: o sintoma inicial e mais marcante é sem dúvida a tristeza. O desgosto pela sua imagem, a baixa auto-estima ... e a depressão.
Em. finais do de 2004 ocorreu no Porto o I Simpósio Português sobre Obesidade Pediátrica - Prevenção e intervenção multidisciplinar. No evento estiveram especialistas portugueses e estrangeiros de renome. O objectivo da acção foi, explicitamente, alertar a sociedade para o perigo, cada vez mais presente, da obesidade nas crianças no nosso país.
Tratou-se da primeira realização do Grupo de Estudo da Obesidade Pediátrica (GEOP) da Sociedade Portuguesa para o estudo da obesidade. Este grupo nacional constituído por pediatras, profissionais do exercício físico, nutricionistas e psicólogo pretende começar a fazer as pessoas pensar que a obesidade é uma doença, e mais, discreta porque não dói.

quarta-feira, 18 de março de 2009

OBESIDADE E ALIMENTAÇÃO



Se não comermos regularmente teremos que "quei­mar" em primeiro lugar as nossas reservas e em se­guida, as nossas próprias proteínas de constituição .



O nosso organismo pode-se comparar a uma "máquina com­plexa", maravilhosa e quase perfeita No entanto, como todas as máquinas, ne­cessita de "combustível" para funcionar correctamente; sen­do esse "combustível" prove­niente dos alimentos.
Como possuímos um "de­pósito" relativamente pequeno (estômago) temos/devemos in­gerir alimentos em pequenas quantidades distribuídas ao longo do dia, consoante os es­forços e a energia que vamos gastar ao longo do mesmo.


Comer regularmente
Se não comermos regular­mente teremos que "queimar" em primeiro lugar as nossas re­servas (glicogénio muscular e hepático) e em seguida, as nossas próprias proteínas de constituição (principalmente do fígado e músculos), sendo isso extremamente nefasto para a nossa saúde a médio e longo prazo. Se nos mantivermos muito tempo sem comer, co­meçamos a sentir-nos menos atentos, trémulos, "enerva­dos", com "dores de ca­beça" e por vezes com uma "fome" exa­gerada, o que faz com que a nossa "complexa má­quina" não funcio­ne na perfeição, não dando por isso o seu má­ximo rendimento (físico e inte­lectual). Como consequência disso, a produtividade no tra­balho e nas actividades de la­zer diminui, os acidentes do­mésticos de viação e de traba­lho tendem a ocorrer, as crian­ças estão mais desatentas nas aulas etc, etc ...


5 a 6 refeições por dia
Com base no que acaba de ser dito, torna-se evidente a necessidade de ter o cuidado de não "saltar refeições", fa­zendo sempre 5 a 6 refeições por dia, distribuídas por exem­plo da seguinte forma: pequeno almoço, meio da manhã, almo­ço, meio da tarde, jantar e eventualmente ceia (se jantar­mos cedo e nos deitarmos tar­de).
Outro problema que sucede é o de concentrar toda a comi­da, que deveria ser distribuída ao longo do dia, em duas refei­ções demasiado volumosas, bem condi­mentadas e "regadas" com bebidas alcoólicas e/ou refrigerantes, o que provo­ca dois tipos de acções, uma a curto e outra a médio e longo prazo:
Quando ingerimos refeições muito volumosas e de difícil di­gestão, vai existir um enorme flu­xo de sangue ao tubo digestivo, a fim de promover uma rápida de­gradação e absorção dos alimentos desviando-se deste modo uma parte da irrigação sanguínea ao cérebro e músculos, o que pro­voca sonolência pós prandial per­da de força "preguiça" e desaten­ção.


Evitar excessos
A médio/longo prazo, se os erros se repetirem, pode-se assis­tir à acumulação do excedente energético sob a forma de gordu­ra, o que promove um aumento gradual do peso corporal, o que a persistir, pode conduzir à obesi­dade e toda uma série de possí­veis complicações cardiovascula­res e osteoarticulares acessórias. Por outro lado, devido a vários mecanismos, nomeadamente hi­per-estimulação do pâncreas com consequente hiper-produção de insulina, poderá desencadear o aparecimento de diabetes tipo 2.
Resta persuadindo-vos a não comerem em excesso, tendo o cuidado de fazer várias peque­nas refeições ao longo do dia. De igual modo é preciso ter cuidado com as dietas da moda e com dietas muito restritivas, evitando estar muitas horas sem comer.

terça-feira, 17 de março de 2009

Nota de Início

Dizer que pretendemos ajudar todos aqueles para quem a VIDA é importante pode parecer muito vago e também muito ambicioso.
Mas isto é realmente verdade.
O que nos propomos fazer é, com a máxima regularidade, trazer até este blog alguns assuntos que poderão ajudar a reflectir sobre o que cada um de nós pretende fazer da sua saúde para o resto da vida.
Mas precisamos de AJUDA. Da vossa ajuda.
Gostariamos que este espaço se pudesse tornar um "sítio" de encontro para troca de ideias e partilha de resultados. Nossos e, porque não, de outros nossos conhecidos.
Para isso - estamos certos que acontecerá - precisamos de sugestões e intervenções sérias e sem outra intenção que não seja a AJUDA.
Não iremos aqui apresentar soluções dogmáticas. O que faremos é colocar alguns textos (quer próprios quer contribuições de outros) que sirvam para a tomada de consciência de situações que nos são, na maioria dos casos, familiares.
Se os conteúdos deste blog vos interessarem, então, porque não recomendá-lo a amigos? Vamos TODOS contar com essa colaboração.
Desejamos que este sítio seja, indiscutivelmente, " O SÍTIO DE TODOS ".
Até sempre.
Lúcia e José Belo