sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Médicos dando seu Testemunho

Testemunhos Médicos sobre a 4LIFE RESEARCH (Retirados do blog - Planeta Saúde 4Life)

Fiz questão de aplicar esta postagem , para poder subsidiar algumas duvidas sobre este excelente produto "TOP" Mundial em aumentar sua imunidade , não resista em suprir suas necessidades de uma Vida melhor , pois meu amigo , cada dia mais estamos expostos aos males que nos assolam no nosso quotidiano .
PREVINIR é PRIMORDIAL CUIDE DE VOCE E DAS PESSOAS QUE AMA DIVULGUE ESTAS INFORMAÇÕES A TODOS .

Dr. Calvin McCausland - PHD Química orgânica
É um ponto chave no desenvolvimento dos inovadores suplementos da 4Life Research e investigação da sua eficiência. Ao longo da sua carreira desenvolveu mais de 500 suplementos nutricionais. O seu trabalho relativamente à forma como os produtos naturais ajudam a saúde face à forma como os químicos interferem valeu-lhe o Prémio Pokrovsky, bem como a distinção Kosigin da Federação Russa.

Dr. Robert Robertson - Director Clínico
"A descoberta mais fascinante em imunologia a ser explorada nas próximas décadas. Proporcionam ao nosso sistema imunológico informação geral organizada sobre as ameaças. É completamente diferente de qualquer mineral, vitamina ou planta, é inteligência imunitária. Como médico, é simples falar destes produtos aos meus colegas, dado que têm uma sólida base científica e são realmente eficazes."

Dr. Duane Townsend Oncología ginecológica
este site esta a sua dsposição http://www.askdrtownsend.co/
"Recomendo factores de transferência aos meus pacientes em tratamentos de quimioterapia ou radioterapia. Ajudam a modular o sistema imunológico e são excelentes para a saúde em geral. Transfer Factor é um produto de base científica com excelente informação técnica de diversos investigadores. Tem vindo a revolucionar a forma como olhamos para a medicina preventiva."

Dr. Darryl See Pesquisa e Investigação Médica
O Dr. Darryl See possui um extenso curriculum de colaboração com entidades como Pfizer, Upjohn, Roche, Departamento de Biotecnologia de Harvard, Departamento de Defesa dos USA, entre outros. "Não existe outra substância nutricional ou qualquer tipo de fármaco com a capacidade de melhorar o sistema imunológico como Transfer Factor. Com o aumento de vírus mortíferos, mutações de bactérias, bactérias super resistentes e contaminação dos alimentos, a nossa maior esperança e defesa reside no nosso sistema imunológico."

Dr. David Markovitz Pediatra
"Recomendamos Transfer Factor a todos os nossos pequenos pacientes e suas famílias. Transfer Factor tem um efeito importante no sistema imunológico das crianças. A nossa experiência pessoal levou a uma redução de 83% de utilização de antibióticos. É o reforço imunológico que recomendamos a todos os nossos pacientes.

Factor de Transferência e Função Imunitária



Para que exista uma boa comunicação entre as células, o sistema imunitário utiliza substâncias similares às hormonas. Os Factores de Transferência são uma dessas substâncias de comunicação imunológica descobertas recentemente.

Uma resposta imunitária não prevista pode demorar entre 10 a 14 dias a apresentar resultados. Esta demora nem sempre é saudável, como pode verificar qualquer um de nós que tenha já lutado contra uma simples constipação durante semanas.

Os Factores de Transferência podem ajudar porque apresentam características de indutor/ajudante (factores de indução) e uma função supressora (factor supressor). O factor indutor é a componente do Factor de Transferência que transfere uma resposta imunológica madura a uma célula imatura. Está comprovado que os Factores de Transferência induzem uma resposta imunológica em menos de 24 horas. Se a resposta imunológica for demasiado activa e agir perante agentes inofensivos como o pólen ou as células do nosso próprio corpo, não é uma resposta saudável. A supressão de reacções excessivas ajuda a controlar as alergias e evita doenças auto imunes. Pelas características apresentadas, tanto o factor indutor como o factor supressor são parte integrante de uma vasta rede imunoreguladora que mantêm em equilíbrio o nosso sistema imunitário.

O colostro (o primeiro leite materno produzido pelos mamíferos) é uma das mais ricas fontes em Factores de Transferência, onde têm como função transmitir ao sistema imunitário do recém-nascido os códigos de reconhecimento que este necessita para identificar e combater os diversos agentes hostis. Num recém-nascido a imunidade inicial estabelece-se rapidamente através do acto de amamentar o bebé. Os recém nascidos que não são amamentados apresentam constantemente uma maior susceptibilidade perante infecções e alergias.

As imunoglobinas presentes no colostro podem (e por vezes fazem-no) causar reacções alérgicas noutras espécies. São a fonte da maioria das alergias ao leite de vaca em humanos. Os Factores de Transferência não são alérgicos.

Como era de esperar desde a sua descoberta, foi comprovado que os Factores de Transferência são eficazes quer por administração oral quer por meio intravenoso. Também se provou que a administração oral prolongada de Factores de Transferência é segura. Os recém nascidos e os idosos estão entre os grupos de risco perante as infecções e outros ataques.
A administração por via oral de Factores de Transferência é cómoda e de fácil aceitação por estes grupos etários.

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Visão geral do Sistema Imunitário

O sistema imunitário é composto por mais de um trilião de células com um peso total de cerca de 1 kg. Apresenta três propriedades fundamentais:

1 – Possui a capacidade de reconhecer substâncias estranhas ao organismo, como são os vírus, as bactérias e outros parasitas.

2 – Possui a capacidade de reagir especificamente perante as características dos agentes agressores.

3 – Possui a capacidade de reter informação sobre os agentes agressores, utilizando essa mesma informação no combate a futuras ameaças.


Muitos agentes infecciosos sofrem constantes mutações, o que faz com que o nosso sistema imunitário muitas vezes não os reconheça. Esta é a razão porque somos tão vulneráveis a infecções virais como constipações e gripes. Alguns parasitas também se transformam rapidamente para fugir às nossas defesas imunológicas. Devido a este tipo de mutações, muitas vítimas da malária sofrem ciclicamente com os sintomas da doença. Cada mutação que altera a aparência de um vírus ou parasita tem de ser combatida por uma reacção imunológica específica.

No seio do sistema imunitário existem duas formas de responder perante substâncias estranhas ao organismo:

1 – Reacção Imunológica Humoral, que incrementa a produção de imunoglobinas, os chamados anticorpos.

2 – Resposta Imunológica Celular, ou imunidade medida por células (IMC). Esta resposta depende da comunicação estabelecida entre os vários tipos de células do sistema imunitário (Linfócitos).

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Transfer Factor (4Life) vs Cancro

Este é um video que poderá causar alguma perplexidade a algumas pessoas.
Mas ... Vejam pois os testemunhos apresentados são testemunhos feitos por MÉDICOS.


quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Factores de Transferência e Sistema Imunitário - Testemunho MÉDICO - 3/3

Este é o ultimo video de três que vale a pena ver já que encerra um testemunho médico MUITO IMPORTANTE.
Para quem deseja concretizar alguns conhecimentos sobre as células NK e tambem sobre a importância das células K562 então não deixem de ver.

Esperamos SINCERAMENTE poder ajudar algumas pessoas com estes videos já que são falados por um médico.

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Factores de Transferência e Sistema Imunitário - Testemunho MÉDICO - 2/3

Neste video têem um testemunho médico MUITO IMPORTANTE.
Para quem deseja saber como as células NK "funcionam" e a forma como actuam em muitas doenças (por exemplo o cancro) não deixem de ver.


domingo, 1 de agosto de 2010

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Os Fundamentos dos Factores de Transferência

Factores de Transferência são moléculas naturais que compõem os leucócitos [glóbulos brancos] e estão presentes nos corpos de todas as espécies de animais, mesmo em Sistemas Imunitários muito primitivos.
Essas moléculas são portadoras de mensagens imunizadoras constituídas por pequenas cadeias de proteínas e outros compostos relacionados.

Elas informam o Sistema Imunitário quando uma ameaça se tenta instalar no organismo – não importando se a ameaça é interna ou externa – e também, como cada célula deve responder apropriadamente à ameaça.

Os Factores de Transferência são produzidos por linfócitos com função de célula mediadora imunizadora. Eles carregam o antígeno dos linfócitos dos pais - célula mediadora imunizadora específica - para os linfócitos não-sensibilizados ou ingénuos dos filhos. Eles também podem incrementar a actividade estimuladora da imunidade antigênica não-específica, dos linfócitos receptores. Quando as células imunizadoras destacadas detectam organismos estranhos, produzem Factores de Transferência específicos para os organismos invasores. Estes são transmitidos imediatamente a outras células imunizadoras “levando a mensagem” da existência de algo estranho e suas características. A informação imunizadora, ou seja, o reconhecimento de patogéneses e as correspondentes respostas, são transmitidos através dos factores de indução, supressão e de antígenos específicos.

O Factor de Indução permite ao factor de transferência ajudar na resposta imunizadora adequada às infecções virais, parasitárias e malignas; doenças bacteriológicas e micro bacteriológicas, infecções fúngicas; desarranjos auto-imunes e doenças neurológicas. Este factor pode transferir uma resposta imunizadora em menos de 24 horas e reduzir significativamente, ou eliminar, sintomas de indisposição.
O Factor Supressor evita que o Sistema Imunitário forneça resposta excessiva para os pólenes e outros corpos estranhos, como também para si mesmo no caso de distúrbios auto-imunes.

O Factor Antigênico Específico carrega informações cruciais que o Sistema Imunológico usa para identificar micróbios e células estranhos.

Tais compostos imunizadores são idênticos para todas as espécies. Assim, é perfeitamente possível que os Factores de Transferência encontrados no colostro das vacas e na gema do ovo de galinhas sejam utilizados para o proveito humano. Essas fontes conferem aos animais uma imunidade temporária contra todos os organismos aos quais as mães foram expostas. Desse modo, o recém-nascido recebe uma certa protecção até que o seu Sistema Imunitário se desenvolva completamente. Analogamente, a mesma protecção temporária pode ser desfrutada por seres humanos de qualquer idade.Diferentemente dos complementos imunizadores – que na sua maioria proporcionam apenas o suporte para uma função imunizadora adequada – os Factores de Transferência também proporcionam inteligência imunizadora. A informação imunizadora e a instrução são a chave para ajudar o Sistema Imunológico a continuar seu trabalho e alcançar a eficiência. Citocinese
1. Factor de Transferência move-se para o receptor do Linfócito T.

2. Factor de Transferência aporta no Linfócito T.

3. Factor de Transferência é puxado para dentro do Linfócito T.

4. Factor de Transferência coloca a estrutura dentro do Linfócito T.

5. A Citocinese está completa.
...
...
FONTES DE ORIGEM DE FACTORES DE TRANSFERÊNCIA

Até meados da década ’80 a única fonte de Factores de Transferência conhecida era o sangue, quando então, pesquisadores estudaram a hipótese dos Factores de Transferência estarem presentes no colostro bovino. Findo o estudo e confirmada a presença, em 1989 o processo de extracção foi patenteado. O colostro nada mais é do que o primeiro leite produzido pela fêmea logo após dar à luz.
As fontes de Factores de Transferência conhecidas actualmente são:
• Leucócitos do sangue de um doador sadio;
• Leucócitos clonados por cultivo “in vitro”;
• Colostro bovino e
• Gemas do ovo de galinha

De entre todas, as fontes mais promissoras comercialmente são o colostro do leite bovino e as gemas dos ovos de galinha. É sempre bom lembrar que os efeitos das propriedades dos Factores de Transferência não se restringem às espécies que os originam, mas, comprovadamente podem ser ministrados nos seres humanos e produzir com segurança os mesmos resultados que na espécie de origem.


Por serem moléculas naturais, os Factores de Transferência têm sido utilizados em complementos nutricionais de forma absolutamente segura há vários anos. Ao longo da história do uso dos Factores de Transferência não houve notícia de reacções adversas graves, mesmo em casos de dosagem maciça ou em doses normais por tempo prolongado.
.
*Tradução livre de texto inserido no website do TRANSFER FACTOR INSTITUTE©

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Quem Descobriu os Factores de Transferência








DR. H. SHERWOOD LAWRENCE [1916-2004]


Nasceu em Astoria, estado de New York, no ano de 1916. Graduou-se pela Stuyvesant High School, New York University Washington Square College e, fez parte da Turma de 1943, na New York University School of Medicine.
Após o episódio de Pearl Harbor, alistou-se na Marinha dos Estados Unidos, servindo como oficial médico na Segunda Guerra Mundial.
Participou da épica invasão da Normandia na Praia de Omaha e das invasões do Sul da França e de Okinawa no Japão.
Ao regressar da guerra, iniciou uma longa e brilhante associação com a NYU School of Medicine e o Bellevue Hospital.
O seu foco principal foi centrado na pesquisa imunológica, mais concretamente no que veio a ser conhecido por Factores de Transferência.
Como membro da National Academy of Science recebeu diversos prémios e honrarias. Encerrou a carreira de professor, pesquisador e médico do Bellavue Hospital quando se tornou octogenário.
Imunologista pioneiro, em 1949 concluiu que uma substância presente num extracto de leucócitos [glóbulos brancos], retirado do sangue de um indivíduo que fora curado de tuberculose, poderia ser transferida para um receptor que não tivesse sido infectado, apesar de apresentar uma resposta imunológica positiva à tuberculose.
Nessa época já era possível utilizar-se a transfusão de sangue para esse fim, porém, somente entre pessoas que possuíssem o mesmo tipo sanguíneo.
O primeiro passo dado pelo Dr. Lawrence foi isolar as células imunológicas do sangue sadio: os glóbulos brancos. A seguir abriu os leucócitos e separou o conteúdo dos glóbulos em fracções de vários tamanhos. Descobriu, então, que uma das fracções composta por pequenas moléculas, era capaz de transferir a sensibilidade à tuberculina para um receptor que ignorasse a infecção.
Constatada a eficiência, denominou sua descoberta de Factores de Transferência.
O trabalho iniciado pelo Dr. Lawrence teve seguidores, resultando em mais de três mil estudos clínicos que analisam o papel crucial dos Factores de Transferência contra uma extensa variedade de agentes infecciosos. A descoberta induziu o ramo da Biologia que estuda a função dos linfócitos.
A pesquisa do Dr. Lawrence foi referência para as tentativas de dar ao corpo humano a aceitação de órgãos transplantados.
Publicou inúmeros artigos e vários trabalhos no Cellular Immunology Journal, do qual foi Editor Fundador.
O Dr. H. Sherwood Lawrence faleceu aos 87 anos de idade na cidade de New York, em 5 de abril de 2004.

domingo, 6 de junho de 2010

Conhecendo Um Pouco da História sobre FACTORES DE TRANSFERÊNCIA -

As diversas espécies animais possuem um traço comum:
o Sistema Imunitário.
Trata-se de um conjunto de mecanismos orgânicos [células e moléculas] com as funções de perceber, identificar e combater invasores estranhos, e potencialmente danosos, ao organismo sejam eles microrganismos ou substâncias.
Desde os primórdios, as diferentes espécies vêm acumulando informações imunológicas que lhes permitam subsistir em seus habitats.
Este “conhecimento” é transferido de geração para geração [Imunidade Inata] e aumenta à medida que as descendências tenham que se defender das investidas de intrusos até então desconhecidos de seus Sistemas Imunitário [Imunidade Adquirida].
A história dos povos revela uma prática generalizada entre os chineses. Eles retiravam material das pústulas de pacientes em processo de recuperação de varíola e, após secar e macerar o material, transformando-o em pó, ministravam-no às crianças por meio de inalação directa. Assim, as crianças que inalassem o tal pó tornavam-se resistentes à varíola. Um exemplo claro de acréscimo de conhecimento do Sistema Imunitário.
No final do século XVIII o médico inglês Edward Jenner fez publicar um tratado sobre vacinação [do latim vaccinus = das vacas].
Jenner observou uma peculiaridade entre mulheres que por ordenhar vacas contraíam varíola bovina. Uma vez recuperadas da infecção nenhuma delas contraiu varíola humana. Essa observação o animou a injectar no braço de um menino com 8 anos de idade, material recolhido de uma pústula variólica bovina.
Após algum tempo, Jenner inoculou varíola humana e constatou que a infecção não se desenvolveu no organismo do menino.
Essa experiencia realizada por Jenner também demonstra que a informação imunológica transcende a espécie onde se origina, ou seja, a célula, molécula, substância ou o que fosse o portador da informação do doador, não é rejeitado pelo receptor e mais, as propriedades características da informação imunológica não são alteradas pelo organismo do doador. Mais de dois séculos passados, esta centelha evoluiu para um grande foco de luz na pesquisa de portadores de informação imunológica gerados em outras espécies animais.
A partir da década de ’60 o desenvolvimento de técnicas em cultura celular provocou uma expressiva transformação do conhecimento sobre o Sistema Imunitário e sobre as funções a ele ligadas.
O que era uma ciência particularmente descritiva, gradativamente se tornou explicativa dos fenómenos da imunidade sob a óptica estrutural e bioquímica.
A ciência denomina Resposta Imune à acção colectiva e coordenada das células e moléculas do Sistema Imunológico diante da introdução iminente de substâncias estranhas ao organismo. As reacções iniciais de defesa contra micróbios cabem à Imunidade Inata, que é a responsável pela activação das respostas mais tardias da Imunidade Adquirida.

Imunidade Inata
É um conjunto de mecanismos que precedem a infecção. Respondem rapidamente aos micróbios e repetem as reacções quando as infecções são recidivas. Esse conjunto é composto principalmente por barreiras de ordem física e química: epitélios e substâncias antimicrobianas originadas nas superfícies epiteliais; células fagocitósicas; células Assassinas (Matadoras) Naturais [NK=Natural Killer]; proteínas do sangue inclusos os membros do Sistema Complemento e outros mediadores da inflamação e; citocinas [proteínas] que coordenam e regulam várias actividades celulares da Imunidade Inata.

Imunidade Adquirida
Assim denominada porque após se haver desenvolvido como resposta imunológica à infecção, se adapta a ela. Suas características exprimem alta especificidade para a variedade de macromoléculas ao lado de uma “memória” capaz de activar respostas cada vez mais intensas quando o organismo se vê exposto ao mesmo micróbio.A Imunidade Adquirida compõe-se de linfócitos e seus produtos. As substâncias estranhas que induzem respostas específicas e se tornam alvos dessas respostas, chamam-se antígenos. Há dois tipos de resposta Imune Adquirida. Uma delas é a Imunidade Humoral e a outra é a Imunidade Mediada por Células [Imunidade Celular].

Imunidade Humoral
É mediada pelos anticorpos que são moléculas de sangue geradas por Linfócitos B. Os anticorpos têm por objectivo o reconhecimento específico dos antígenos microbianos, neutralizando a infecciosidade dos micróbios e marcando-os para a eliminação via mecanismos efectores. É o principal mecanismo de defesa contra os micróbios extracelulares e suas toxinas.Imunidade CelularA mediação é feita por células chamadas Linfócitos T.
Microrganismos intracelulares, como os vírus e algumas bactérias, sobrevivem e multiplicam-se no interior dos fagócitos e de outras células do hospedeiro, tornando-se inacessíveis aos anticorpos circulantes. A defesa contra essas infecções é uma função da Imunidade Mediada por Células, que destrói os micróbios alojados em fagócitos ou acciona a lise das células infectadas.

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Células “NK” - Natural Killer. O que são?

A tradução literal para Natural Killer é “Assassino Natural”, logo, os linfócitos NK são células “matadoras naturais”, ou células “assassinas” e compõem entre 10 a 15% dos linfócitos do sangue.

As células NK são as células de defesa do Sistema Imunitário que têm a função de reconhecer células estranhas ao organismo, células infectadas por vírus ou com algum tipo de alteração que possa propiciar o surgimento de um cancro.

Elas causam a lise* [destruição] de células tumorais ou infectadas por vírus impedindo-as de activar algum antígeno activador da resposta imunológica específica.

Estas respostas são conhecidas como Resposta Imune Inespecífica, já que não há reconhecimento de epítopos nem a geração de células monoclonais específicas ou qualquer outra memória imunológica que seja específica.

As células Natural Killer também causam a lise de células cobertas pelo IgG, função conhecida por Citotoxidade celular dependente de anticorpo.
.
* lise [Do grego Wsis. - Substantivo Feminino]. Patologia: Destruição, como a que ocorre em células, incluindo bactérias.



terça-feira, 18 de maio de 2010

Testemunho de uso de 4Life em Infecções Várias



ATENÇÃO - Os produtos 4Life NÃO são medicamentos nem a sua utilização evita a consulta dos médicos. Estamos a falar de suplementos que contêm FACTORES de TRANSFERÊNCIA que têm a capacidade de reforçar de forma ESPANTOSA o nosso Sistema Imunitário. E é o reforço desse Sistema que permite ao nosso organismo reagir de forma tão FORTE às agressões a que está sujeito.

"Nos últimos 4 anos, padeci de bronquite crónica, sinusite, infecções de ouvido e conjuntivite. Comecei a tomar 3 cápsulas de Transfer Factor por dia durante 3 ou 4 dias e realmente não notei grande diferença.

Falei com o Dr. Rob, e ele aconselhou-me a tomar 9 cápsulas por dia.

Dado o facto de ter somente 1 embalagem comigo, tomei 6 cápsulas por dia.

Bem, depois de 3 três dias comecei a respirar melhor, sentindo mais energia, sentindo-me melhor do que me senti em 4 anos.

Estou a usar Transfer Factor há 2 semanas, tomando 9 cápsulas por dia e voltei a recuperar a minha saúde. O Transfer Factor foi o único que pôde repor o meu nível de energia onde se encontra agora.

Anima-me poder ajudar na saúde das pessoas, mas também poder partilhar um produto que os possa ajudar económicamente. Dar-lhes a oportunidade de ganhar a vida fazendo algo para benefício de outros. Estou tão contente de estar envolvido com as pessoas e com a Companhia. Agradeço tudo o que me ofereceram." -Julie Cardenaz

quinta-feira, 13 de maio de 2010

Células Assassinas Naturais

Se quer saber mais sobre Factores de Transferência, sobre Células Assassinas Naturais e sobre a contribuição da 4Life neste campo não pode deixar de ver este video.
Está falado em espanhol mas está completamente compreensivel.
Deixo à consideração de todos e espero conclusões.


quarta-feira, 12 de maio de 2010

Testemunho de uso de 4Life na Psoríase

ATENÇÃO - Os produtos 4Life NÃO são medicamentos nem a sua utilização evita a consulta dos médicos. Estamos a falar de suplementos que contêm FACTORES de TRANSFERÊNCIA que têm a capacidade de reforçar de forma ESPANTOSA o nosso Sistema Imunitário. E é o reforço desse Sistema que permite ao nosso organismo reagir de forma tão FORTE às agressões a que está sujeito.

"Olá, o meu nome é Doreen Lassiter, sou enfermeira, tenho 64 anos de idade e tenho muito respeito pelos medicamentos que o meu Médico me receita. No entanto, esses medicamentos não me ajudaram nas minhas fortes alergias ou na minha psoríase.


Os episódios alérgicos normalmente produziam uma infecção dos brônquios ou uma infecção do seio. A minha psoríase não estava a responder a nenhum tratamento médico.

Dois destes problemas de saúde estão na categoria de uma doença que ataca o sistema imunitário.

Por isso inclui no meu tratamento diário o uso do antioxidante RioVida e 3 cápsulas de Transfer Factor.

As alergias e psoríase têm vindo a desaparecer totalmente. RioVida e Transfer Factor é uma combinação dinâmica que melhorou substancialmente a minha qualidade de vida."

segunda-feira, 10 de maio de 2010

PSORÍASE

Apesar de não ser contagiosa, ainda é alvo de um grande preconceito. Saiba mais sobre esta doença da pele que afecta 250 mil portugueses



"A psoríase não é contagiosa, contagioso é o preconceito" , foi o lema da campanha de sensibilização lançada pela Associação Portuguesa da Psoríase, PSO Portugal, a propósito do Dia Mundial da Psoríase (29 de Outubro), em 2007.
De facto, para além de todos os sintomas físicos que envolve, a psoríase também tem um forte impacto a nível familiar, social, profissional, emocional e psicológico dos doentes, razão pela qual se torna importante conhecê-la para lutar contra o preconceito a ela associado.
A psoríase é uma doença crónica da pele, não contagiosa, que pode surgir em qualquer idade. Caracteriza-se, geralmente, pelo aparecimento de lesões vermelhas, espessas e descamativas, que afectam sobretudo os cotovelos, os joelhos, a região lombar e o couro cabeludo.
No entanto, tanto o aspecto, como a extensão, a evolução e a gravidade das lesões variam bastante de doente para doente, sendo que, nos casos mais graves, podem cobrir extensas áreas do corpo. A psoríase também pode aparecer à volta e debaixo das unhas, que aumentam de espessura e se deformam.



Quais as suas causas?
A origem da psoríase não é totalmente conhecida. Contudo, sabe-se que é influenciada por factores genéticos e que envolve alterações no funcionamento do sistema imunitário, que provocam inflamação e aumento da velocidade de renovação das células da epiderme.
Apesar de ser geneticamente determinada não quer dizer que a hereditariedade de pais para filhos seja obrigatória. No entanto, a probabilidade da doença surgir é maior em pessoas com familiares portadores da mesma.

Como se diagnostica?
Inicialmente, pode ser difícil para o especialista diagnosticar psoríase, uma vez que pode ser confundida com outras doenças cutâneas que também se manifestem através de lesões avermelhadas e descamativas, e que possam afectar as zonas típicas da psoríase.
O diagnóstico, deve, por isso, ser feito por um dermatologista que, à medida que a doença avança, consegue reconhecer o seu padrão de escamação característico. Para confirmar o diagnóstico, o especialista pode recorrer a uma biopsia de pele.



Qual o tratamento?
Apesar de não existir uma cura definitiva para a psoríase, existe um conjunto de tratamentos que, utilizados isoladamente ou em associação, aliviam e controlam os seus sintomas.


Mas como, já visto atrás, esta situação tem a ver com um mau funcionamento do sistema imunitário então será FUNDAMENTAL reforçar e melhorar o referido sistema.


É aqui que entram os produtos 4Life. Com eles podemos esperar um reforço SIGNIFICATIVO do sistema imunitário e a consequente melhoria das consequências desse mal chamado PSORÍASE.





Podemos usar o Transfer Factor e o antioxidante RioVida da 4Life.










Para termos a certeza que esta solução funciona nada como lermos e/ou ouvirmos os testemunhos publicados sobre a Psoríase.


ATENÇÃO - Os produtos 4Life NÃO são medicamentos nem a sua utilização evita a consulta dos médicos.Estamos a falar de suplementos que contêm FACTORES de TRANSFERÊNCIA que têm a capacidade de reforçar de forma ESPANTOSA o nosso Sistema Imunitário. E é o reforço desse Sistema que permite ao nosso organismo reagir de forma tão FORTE às agressões a que está sujeito.

terça-feira, 4 de maio de 2010

Testemunho de uso de 4Life em Cancro de Mama

ATENÇÃO - Os produtos 4Life NÃO são medicamentos nem a sua utilização evita a consulta dos médicos.Estamos a falar de suplementos que contêm FACTORES de TRANSFERÊNCIA que têm a capacidade de reforçar de forma ESPANTOSA o nosso Sistema Imunitário. E é o reforço desse Sistema que permite ao nosso organismo reagir de forma tão FORTE às agressões a que está sujeito.

Ver este testemunho é IMPORTANTE.

Depois ... Tirem as vossas conclusões.



domingo, 2 de maio de 2010

Homenagem a TODAS as MÃES




Porque gostei deste poema, mesmo sem saber o autor, aqui fica uma singela, mas sentida homenagem a TODAS as MÃES. Incluindo a MINHA.






Ser mãe



Ser mãe

É amar

Antes de o ser


É sentir orgulho

No ventre

Que vai crescer


Ser mãe… não é parir

É muito, muito mais

É amar… dar

Sofrer … perdoar

É mentir para salvar

Mas… ser mãe

Também é receber
É colher o amor
Que semeou
É sentir o amor
De quem sempre amou
Ser mãe …é correr
Antes de ser chamada

Beijar … antes de ser beijada

Perdoar… ainda que nunca

Seja perdoada!

sábado, 1 de maio de 2010

O Néctar dos Bebés


O leite materno é o único alimento capaz de satisfazer todas as necessidades nutricionais durante os primeiros seis meses de vida.




Mas oferece mais vantagens.



Vantagens da Amamentação: Para o bebé

Nutricionais
- Relação caseína / lactoalbumina mais adequada que a do leite de vaca
- Boa relação cálcio/fósforo
- Elevada biodisponibilidade de ferro
- Boa fonte de ácidos gordos polinsaturados (ARA e DHA)
- Boa fonte de vitamina A que contribui para diminuir a prevalência de infecções respiratórias; protecção da mucosa intestinal; integridade do tecido epitelial e visão.

Imunológicas
- Contém glutamina e arginina que possuem uma acção anti-inflamatória
- Fornece imunoglobulinas, lisozimas e oligossacáridos- Efeito protector sobre as alergias.

Psicológicas
- Facilita o estabelecimento do vínculo afectivo entre mãe e filho, proporcionando a ambos um momento de felicidade.

Vantagens da Amamentação: Para a mãe

- Ajuda na recuperação do peso;
- Diminuição do risco de ocorrência de osteoporose, diabetes, cancro da mama e do ovário (a amamentação melhora a mineralização óssea; cada ano de amamentação reduz o risco de desenvolvimento a diabetes tipo II em 15%; estudos comprovam que a amamentação durante dois a sete meses provoca uma redução de 20% na incidência de cancro dos ovários);
- Fortalecimento da auto-estima;
- Satisfação emocional;
- Promove o vínculo afectivo entre mãe e filho;
- Custo económico: nulo.


Riscos do não-aleitamento

Enterocolite necrotizante: Bebés que consomem fórmulas infantis têm cinco a 10 vezes maior probabilidade de desenvolverem enterocolite necrotizante (quadro intestinal grave) do que bebés que ingerem leite materno.

Obesidade: Bebés que não são amamentados têm maior propensão de virem a sofrer de excesso de peso durante a infância e adolescência.

Diabetes: O desenvolvimento de diabetes tipo I pode estar relacionado com a alimentação do bebé durante os primeiros meses.

Asma: Estudo revelou que a introdução de outros leites diferentes do leite humano, antes dos quatro meses, resultou no aumento em 24% do risco em asma.

Alergias: Bebés alimentados com fórmulas infantis têm maior probabilidade de sofrerem de alergias.

Gastroenterites: Bebés que não são amamentados têm maior risco de contraírem rota vírus, sendo os seus sintomas mais severos.

Infecções respiratórias: Bebés que não foram exclusivamente alimentados com leite materno, durante os dois primeiros meses de vida, ou não foram parcialmente alimentados ao peito durante seis meses, têm quatro vezes maior probabilidade de terem quatro ou mais visitas ao médico.

Infecções do aparelho urinário: Bebés não amamentados têm cinco vezes maior probabilidade de sofrerem infecções urinárias do que bebés amamentados com leite materno.

Leucemia: A incidência é maior nos bebés que foram amamentados com leite materno.

Cárie dentária: Crianças que foram amamentadas desenvolvem menos cáries do que crianças não sujeitas ao aleitamento materno.

domingo, 25 de abril de 2010

Testemunho de Utilização de 4Life em Doença de Crohn

Doença de Crohn. O que é?


A doença de Crohn (enterite regional, ileíte granulomatosa, ileocolite) é uma inflamação crónica da parede intestinal.

A doença afecta tipicamente toda a espessura da parede intestinal. O mais habitual é que se manifeste na porção mais baixa do intestino delgado (íleo) e no intestino grosso, mas pode ocorrer em qualquer segmento do tracto gastrointestinal, da boca até ao ânus, inclusivamente na pele à volta deste.
Nas últimas décadas, a incidência da doença de Crohn aumentou tanto nos países ocidentais como nos países em vias de desenvolvimento. Ocorre aproximadamente em igual proporção nos dois sexos, é mais comum entre os Judeus e tem tendência para surgir em famílias com história de colite ulcerosa. Quase todos os casos surgem antes dos 30 anos, mas a maioria começa entre os 14 e os 24 anos.
Em cada indivíduo, a doença afecta uma área específica do intestino, deixando por vezes áreas normais (áreas intercaladas) entre as zonas afectadas. Em cerca de 35 % dos que sofrem da doença de Crohn, só o íleo é afectado. Em 20 %, só é afectado o intestino grosso. E nos restantes 45 % são afectados tanto o íleo como o intestino grosso.
A causa da doença de Crohn é desconhecida.

As investigações centraram-se em três possibilidade principais: uma disfunção do sistema imunitário, uma infecção e a dieta alimentar.
ATENÇÃO - Os produtos 4Life NÃO são medicamentos nem a sua utilização evita a consulta dos médicos.Estamos a falar de suplementos que contêm FACTORES de TRANSFERÊNCIA que têm a capacidade de reforçar de forma ESPANTOSA o nosso Sistema Imunitário. E é o reforço desse Sistema que permite ao nosso organismo reagir de forma tão FORTE às agressões a que está sujeito.

Testemunho de utilização 4Life

“Foi-me diagnosticada a doença de Crohn em 1991.

Nos últimos anos sofri de dores constante no meu abdómen junto com irritabilidade e outros sintomas da doença de Crohn.

Sendo a doença de Crohn uma doença que causa inflamação intestinal, também causa desnutrição. Com a doença de Crohn, foi diagnosticado com o vírus de Epstein Barr também conhecido como fadiga crónica. Tinha que dormir várias sestas durante o dia para recuperar energias para poder desempenhar tarefas pequenas. Eu escolhi não tomar os medicamentos que me foram prescritos e procurei formas alternativas de tratamento.

Ao longo dos anos tentei muitas formas de terapias e suplementos para combater o Crohn. Até fui a um hospital em Tijuana, México para tentar um novo tratamento alternativo. O máximo alívio que conseguia, durava somente semanas.

Meço 1,82m e o meu peso tinha baixado para os 63 Kg. Simplesmente aprendi a aceitá-lo.
Em Setembro de 1998 ouvi falar da 4Life Research e Transfer Factor. Depois de tomar Transfer Factor durante 1 mês notei que dormia toda a noite sem dores nem irritabilidade. Então notei que podia comer alimentos que antes evitava, sem que me causassem dor. O meu nível de energia estava mais alto durante o dia e já não tinha de dormir sestas.
Agora decorreram 5 meses, desde que comecei a tomar o Transfer Factor juntamente com ácidos gordos essenciais e não tenho absolutamente nenhum dos sintomas da doença de Crohn. O meu peso está agora em 93 Kilos e sinto-me optimo.

A melhor parte é que agora posso desfrutar comendo alimentos saudáveis que antes não podia.” -Dave D.

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Leite Materno Deve Ser Sempre Prioridade

As vantagens da amamentação são inúmeras e reconhecidas por todos, quer para o bebé, quer para a mãe. Por isso, deve ser considerado sempre como uma prioridade.


O leite materno é qualquer coisa de extraordinário. É diferente, é um alimento vivo, tem células, protege as crianças contra as infecções de uma maneira altamente eficaz”, considera o especialista do serviço de neonatologia do Hospital S. Francisco Xavier, António Honrado Lucas, exemplificando: “é impossível um bebé de dois meses, enquanto alimentado a peito, ter uma gastrite”.

O leite materno é um alimento vivo, completo e natural e as suas vantagens são múltiplas e reconhecidas, quer para o bebé, quer para a mãe. “Em termos psicológicos, até a mãe fica mais segura, sente que está a contribuir para a saúde do seu bebé”, acredita António Honrado Lucas. É consensual que a duração ideal do aleitamento materno exclusivo é de seis meses, “embora nos tempos que correm, a Organização Mundial de Saúde (OMS) aceite os três meses”.
De acordo com os especialistas, o leite da mãe tem um efeito protector entre outros, sobre as alergias, infecções gastrointestinais, respiratórias, urinárias e diabetes. Por outro lado, António Honrado Lucas acrescenta que algumas situações frequentes nestas fases, nomeadamente as cólicas abdominais, podem ser minimizadas: “embora, as cólicas sejam uma questão multifactorial, que tem que ver com o meteorismo ou o stress do bebé, sem dúvida que a amamentação é benéfica, tornando o problema menos frequente”.
Ao mesmo tempo, para a mãe facilita uma involução uterina mais precoce e associa-se a uma menor probabilidade de cancro da mama. A enfermeira do Centro de Saúde da Parede, Adelaide Órfão e responsável pela Associação de Aleitamento Materno de Portugal – Mama Mater acrescenta mais algumas das vantagens.

O leite da mãe transmite um património vivo e, por isso, para além do ponto de vista fisiológico, induz o equilíbrio neurológico, a maturação e modulação do próprio crescimento do bebé, (que compreende o desenvolvimento do intestino e que diminui todo o número de doenças associadas), e o próprio bem-estar que se reflecte na mãe”.

Alguns estudos revelam que mais de 90 por cento das mães portuguesas iniciam o aleitamento, se bem que quase metade das mulheres desistem de dar mama durante o primeiro mês de vida do lactente. É com o intuito de contribuir para aumentar as taxas de amamentação em Portugal que existe a Mama Mater.

A associação existe por duas razões. Por um lado, a OMS, com a chancela da Unicef, aconselhou a organizar cursos de apoio e promoção à amamentação e por outro, as próprias mães consideravam que através de uma associação deste tipo teriam mais força e apoio na comunidade local”, explica Adelaide Órfão.

Não há dúvida que amamentar oferece mais oportunidades para que mãe e filho se olhem mais vezes e para que consigam ter uma linguagem perceptível aos dois”, acredita a responsável pela Mama Mater, e diz ainda que é também um bem para a família.

A mãe tem menos depressão pós-parto. E do ponto de vista do pai, a grande maioria, é a favor de que as suas mulheres amamentem, pois sentem que os bebés ficam bem entregues se tiverem a oportunidade de mamar o leite da sua própria mãe”, adianta Adelaide Órfão, e conclui que o bebé fica efectivamente mais apto, “com as suas competências desenvolvidas e operacionalizadas”.

terça-feira, 13 de abril de 2010

As Sentinelas do Nosso Corpo - Parte 3/3

Esta é a ultima parte da série - O Corpo Humano e que diz respeito ao Sistema Imunitário.

Parte 3/3 .

Ah! E quantos de nós não nos iremos rever nesta série que, tendo muitos anos, está FANTASTICAMENTE actual.

Ah! É verdade. Gostaram?



As Sentinelas do Nosso Corpo - Parte 2/3

Esta série - O Corpo Humano - é realmente ESPANTOSA.

Parte 2/3 sobre o Sistema Imunitário.

Ah! E quantos de nós não nos iremos rever nesta série que, tendo muitos anos, está FANTASTICAMENTE actual.

As Sentinelas do Nosso Corpo - Parte 1/3

Esta série - O Corpo Humano - é realmente ESPANTOSA.

Parte 1/3 sobre o Sistema Imunitário.

Ah! E quantos de nós não nos iremos rever nesta série que, tendo muitos anos, está FANTASTICAMENTE actual.



segunda-feira, 12 de abril de 2010

Disfunções e Deficiências do Sistema Imunitário

Uma das características mais importantes do sistema imunitário é a capacidade de reconhecimento do próprio frente ao estranho.

Esta capacidade é conhecida como tolerância.
Quando o sistema imunitário age de modo incorrecto, por defeito ou por excesso, a tolerância está afectada e aparecem diferentes tipos de doenças, como:

  • A auto imunidade, na qual o sistema imunitário identifica como estranhos as próprias células do corpo, por ex.: psoríase, esclerose múltipla, lúpus eritematoso, etc. ...

  • As imunodeficiências produzidas pela falta de actuação do sistema imunitário. Primárias ou congénitas que produzem uma alteração genética derivada da produção defeituosa de linfócitos tendo como ex. a Imunodeficiência Severa Combinada (SICS) e secundárias ou adquiridas que podem aparecer ao longo da vida de qualquer pessoa como consequência de infecções viricas por ex. HIV/Sida ou por lesões graves do sistema: má nutrição, abuso de drogas ou doenças como leucemia ou por tratamentos médicos, como a quimioterapia.


  • A hipersensibilidade é uma disfunção do sistema imunitário que produz uma resposta imunitária frente a uma substância inócua como por ex., o pólen os ácaros do pó, etc. … e a reacção que se produz é conhecida como alergia ou hipersensibilidade como a asma

domingo, 11 de abril de 2010

O que é o sistema imunitário?


O sistema imunitário é uma rede complexa de órgãos e células que têm como objectivo comum preservar a nossa saúde e bem-estar.
O seu bom funcionamento determina geralmente se uma pessoa está saudável e enérgica ou se pelo contrário é mais propensa a adoecer e a estar debilitada.
O sistema imunitário proporciona-nos imunidade ou capacidade para resistir, combater e inclusive, conseguir derrotar e eliminar o "inimigo invasor", protegendo-nos contra germes e microrganismos que connosco convivem de forma quotidiana e que podem ser grandes causadores de doenças, como também das nossas próprias células que por vezes se transformam em malignas ou cancerosas.

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Factores de Transferência - História e Investigações



Há mais de uma década que a 4Life lidera e dirige a indústria na descoberta e na inovação de suplementos para o sistema imunitário.


Mas como é que tudo isto começou?

Em 1949, o Dr. Sherwood Lawrence descobriu uma substância revolucionária e determinou que uma resposta imunitária melhorada podia ser transferida de um indivíduo recuperado de uma doença específica para outro indivíduo receptor que nunca tivesse tido essa patologia. O Dr. Lawrence denominou essa substância como factor de transferência.

Em 1996, o Director Geral Executivo da 4Life, David Lisonbee seguindo as investigações do Dr. Lawrence, teve conhecimento de uma patente para a extracção dos factores de transferência.

Em 1998, a 4Life obteve a patente para extrair os factores de transferência do colostro bovino.

O colostro, é o primeiro leite que uma mãe ou fêmea mamífera produz imediatamente após dar à luz. Desde tempos remotos e em diferentes civilizações como, por exemplo a Indiana, a medicina ayurvédica (é conhecida como a mãe de todas as medicinas), valorizava e utilizava o colostro como prevenção de maleitas e doenças.

Nos anos 50 foi baptizado como "o leite imunizante" e foi utilizado como antibiótico natural antes do descobrimento da penicilina. Nessa mesma década fizeram-se mais investigações sobre as propriedades do colostro e descobriu-se que os bebés amamentados com leite materno tinham um melhor desenvolvimento e sofriam menos alergias e infecções, por isso os pediatras insistem sempre em recomendar a lactância materna para proteger os recém nascidos proporcionando-lhes imunidade passiva ao mesmo tempo que os nutre. O Dr. Albert Sabin, descobridor da vacina da poliomielite, recomendava o consumo de colostro pelo seu conteúdo rico em anticorpos O Dr. Bernard Jensen, médico e investigador científico, denominou-o "o ouro branco" pelas propriedades tão saudáveis que descobriu nas suas investigações.

Em 2001, a 4Life estabilizou os factores de transferência para uso tópico (4Life Transfer Factor Renew All) e assim ampliou a acção benéfica dos factores de transferência actuando directamente através da pele. A partir desta nova forma de proporcionar ao sistema imunitário os factores de transferência, a 4Life concentrou-se ainda mais para melhorar as suas fórmulas.

No ano 2003 adquiriu a patente para a extracção dos factores de transferência da gema do ovo da galinha. A nossa empresa descobriu que as aves transferem a informação imunológica através dos factores de transferência contidos nas gemas dos ovos.
Qual foi a razão para a 4Life utilizar os factores de transferência do colostro bovino e das gemas dos ovos das galinhas e não das outras espécies de animais?

Porque são completamente seguros e porque as vacas e as galinhas vêem-se obrigadas a desenvolver sistemas imunitários heróicos. Vivem sobretudo no exterior, comem no chão, bebem águas insalubres, suportam diversas condições ambientais e os desafios da vida comunitária. Estas condições expõem-nos a diversos germes, bactérias e vírus contra os quais o seu sistema imunitário deve lutar e mais tarde recordar para defender a sua saúde. É a natureza heróica dos seus sistemas imunitários, necessária para a sua sobrevivência, que os converte em doadores ideais dos factores de transferência.
São as duas fontes de factores de transferência mais abundantes e segu­ras, e como estas moléculas não são específicas para cada espécie, podemos beneficiar do conhecimento utilizado por estes animais durante as suas vidas para transferir informação das suas células imunitárias para as nossas e o melhor de tudo isto é que combinadas oferecem o maior leque de protecção imunitária que alguma vez se podia imaginar!
Em 2007, David Lisonbee e a sua equipa de investigação da 4Life conseguiram descobrir e isolar umas moléculas, ainda mais diminutas que os factores de transferência e, que os cientistas sempre souberam que existiam no colostro mas que nunca tinham determinado se tinham alguma actividade imunitária, as nano fracções ou nanofactors.

Na 4Life analisaram-se e determinou-se o seu potencial para reforçar o sistema imunitário.
As nano fracções são moléculas de baixo peso que se encontram no sistema imunitário de alguns mamíferos (no homem também existem) e aves. Funcionam como parte da rede de "comando e controlo" do sistema imunitário. Os factores de transferência e as nano fracções transferem a memória imunitária, conhecimento e sabedoria de uma entidade para a outra. O NanoFactor é o extracto de patente solicitada da 4Life das nano fracções do colostro bovino.

Com a intuição natural das nano fracções, as suas células sabem quando agir, como agir e quando descansar. Por si sós, o 4Life Transfer Factor e o NanoFactor dão uma poderosa ajuda, mas o verdadeiro benefício obtém-se quando se combinam na fórmula do 4Life Transfer Factor Tri-Factor.

sexta-feira, 2 de abril de 2010

Doenças Auto-Imunes. O que são ?



Auto-imunidade é a falha em uma divisão funcional do sistema imunológico chamada de auto-tolerância,o que resulta em respostas imunes contra as células e tecidos do próprio organismo.


Qualquer doença que resulte deste tipo de resposta é chamada de doença auto-imune.

Exemplos famosos incluem a diabetes mellitus tipo 1, lúpus eritematoso sistémico, síndrome de Sjögren, tireoidite de Hashimoto, doença de Graves e artrite reumatóide.

São doenças que surgem quando a resposta imunitária é efectuada contra alvos existentes no próprio indivíduo.
Respostas auto-imunes são frequentes, porém transitórias e reguladas. A auto-imunidade como causadora de doença não é frequente, uma vez que existem mecanismos que mantêm um estado de tolerância aos epitopos do próprio organismo. As doenças auto-imunes têm etiopatonogênese complexa e multifactorial.

Informação retirada do site do NEDAI (Núcleo de Estudos de Doen­ças Auto-imunes )

Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES) - O que é ???

Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES) é uma doença crónica inflamatória de causa desconhecida, que apresenta modificações importantes no sistema imunológico da pessoa.

Na verdade, alguém que tem LES, desenvolve anticorpos que reagem contra as suas próprias células sadias, podendo afectar principalmente órgãos como a pele (lesão em forma de borboleta na área nasal), coração, pulmão, rins (insuficiência renal crônica) etc., além das articulações. As mulheres são as principais vítimas da doença.

A Medicina Integrativa considera LES, uma doença degenerativa relacionada, portanto, com a acumulação de Radicais Livres no organismo.

Os sintomas variam muito em cada paciente e vão desde febre, cansaço, perda de apetite, dores musculares e manchas vermelhas na pele, até danos em órgãos vitais. O diagnóstico é feito com exames clínicos e laboratoriais.

Para quem tem dúvida se é ou não portador de Lupus, algumas questões podem ajudar.

É importante ficar atento a dores ou inflamações nas articulações por mais de três meses, pequenas inflamações na boca ou nariz por mais de duas semanas, entre outros indícios.


De qualquer modo, a visita ao médico é de extrema importância para um diagnóstico mais preciso. A Pesquisa de células LE e Fator Anti-Núcleo são exames de sangue decisivos para confirmação.
Infelizmente, não há um remédio específico para o Lupus e o tratamento convencional envolve uma série de medidas, entre medicamentos (Corticóides) e normas para que se viva bem.

Mas nem a cura nem mesmo a melhoria de sintomas é garantida.

segunda-feira, 29 de março de 2010

FIBROMIALGIA - Testemunhos de Utilizadores de Produtos 4Life (3)

ATENÇÃO - Os produtos 4Life NÃO são medicamentos nem a sua utilização evita a consulta dos médicos.Estamos a falar de suplementos que contêm FACTORES de TRANSFERÊNCIA que têm a capacidade de reforçar de forma ESPANTOSA o nosso Sistema Imunitário. E é o reforço desse Sistema que permite ao nosso organismo reagir de forma tão FORTE às agressões a que está sujeito.


FIBROMIALGIA


"A Fibromialgia tinha dominado a minha vida durante aproximadamente 15 anos.
Era tão dolorosa que tinha que dormir sentada apoiando-me em almofadas. Não conseguia dormir mais de 2 horas, nem de dia nem de noite. Tentava sair para caminhar mas parecia que tinha pedras na planta dos pés. Tornei-me extremamente sensível aos medicamentos e por pouco morria intoxicada.
O meu médico decidiu suspender-me todos os medicamentos e disse-me que tinha que aprender a viver com a doença ou encontrar um meio alternativo.
Foi então que recebi um telefonema a falar-me sobre o Transfer Factor.
Depois de muita investigação e hesitação decidi usá-lo. Para além de tudo, não tinha nada a perder.
E os resultados foram muito interessantes.
Em menos de 4 semanas, já podia dormir durante toda a noite e podia fazer exercícios com muito menos dor.
Agora posso fazer coisas que pensava que já não poderia voltar a fazer.
As análises seguintes revelaram que tinha havido uma enorme regressão nos sintomas.
O meu médico não podia acreditar na diferença que havia em mim.
Graças à 4Life e aos Factores de Transferência tinha a minha vida de volta novamente.
Até já tinha esquecido o bem que sabe sentir-me bem. Sei que existem dias melhores e brilhantes no futuro desde que se esteja disposto a tentar sempre mais uma vez."
-Pam-Wisconsin

sábado, 27 de março de 2010

LUPUS - Testemunhos de Utilizadores de Produtos 4Life (2)

ATENÇÃO - Os produtos 4Life NÃO são medicamentos nem a sua utilização evita a consulta dos médicos.
Estamos a falar de suplementos que contêm FACTORES de TRANSFERÊNCIA que têm a capacidade de reforçar de forma ESPANTOSA o nosso Sistema Imunitário. E é o reforço desse Sistema que permite ao nosso organismo reagir de forma tão FORTE às agressões a que está sujeito.


LUPUS

"Eu contrai lúpus sistémico aos 11 anos e passei por muitos períodos difíceis durante os últimos 13 anos, problemas com o sistema nervoso central, duas sessões de quimioterapia e vários tratamentos com esteróides. Ao longo dos anos tomei todo tipo de suplementos, incluindo produtos de Shaklee e sumos naturais utilizando um espremedor de sumos, qualquer coisa para ajudar-me a controlar a minha saúde e deixar de utilizar os esteróides. Há quatro meses atrás senti que começava com outro episódio de lúpus. Desenvolveu-se uma dor no meu peito que se intensificava cada vez que respirava, como se alguém poisasse sobre o meu peito impedindo-me de respirar. Os médicos recomendaram-me aumentar a minha dose de Prednisone, o que não era de meu agrado.Nessa altura, encontrei-me com a minha primeira caixa de suplementos de 4Life. Comecei a consumi-los imediatamente. Também decidi que não aumentaria a dose de Prednisone para a dose que me tinham indicado os médicos. No dia seguinte senti que melhorou a minha respiração e a dor tinha baixado. Durante os seguintes dois dias continuei com o Transfer Factor, BioVitamins e o BioEFA. Sentia-me estupendo e baixei a dose de Prednisone para uma quantidade normal. Na seguinte semana fui a um ultra-som para verificar se tinha líquido arredor do coração e não se encontrou nenhum. Tinha desaparecido completamente. A enfermeira pensou que era efeito dos esteróides, mas eu sabia que era efeito do Transfer Factor. Tomei Transfer Factor por quase 4 meses e pude regressar ao trabalho a tempo inteiro. Os sintomas do lúpus desapareceram quase por completo Eu sei que o Transfer Factor de 4Life talvez não cure o meu lúpus, mas pode melhorar a maneira em que me sinto e vejo a vida. Isto foi uma bênção e uma resposta a minhas preces. Estou agradecida por Transfer Factor ter chegado à minha vida e me ter feito sentir melhor e feliz. Jamais senti tanta confiança num produto em toda minha vida de busca. Para mim Funciona!" -Amy F

Pequenos Esclarecimentos - IMPORTANTES

Que são os FACTORES de TRANSFERÊNCIA?



Os FACTORES de TRANSFERÊNCIA não existem em nenhuma fruta exótica. Nem são vitaminas, nem minerais ou ervas.São moléculas que se encontram no próprio sistema imunitário do nosso corpo.


Os FACTORES de TRANSFERÊNCIA são mensageiros do sistema imunitário que compartilham a informação que o corpo necessita para desencadear uma reacção rápida e eficaz contra qualquer agressão ao nosso organismo.



Que esperar dos produtos 4Life Transfer Factor®



OS productos 4Life Transfer Factor® ajudam o nosso sistema imunitário a:

- Activar o alarme para avisar que há um problema potencial

- Responder à ameaça com a reacção adequada

- Enfrentar diariamente as ameaças ao sistema imunitário com inteligência e intuição adicional

- Avisar as células imunitárias de que já não existe ameaça

quarta-feira, 24 de março de 2010

Testemunhos de Utilizadores de Produtos 4Life (1)

Vamos apresentar uma série de testemunhos de pessoas que usaram produtos 4Life, tiveram resultados e quiseram partilha-los com as pessoas que "tenham a coragem" de acreditar nelas.
Cada um, ao ler estes testemunhos, poderá ter as mais variadas reacções. Alguns irão, certamente, achar que tudo não passam de testemunhos forjados. Estão no seu direito.
Outros irão achar que não há qualquer razão para mentiras ou "embustes" e que tudo foi como contado. E têm toda a razão.
Aquilo que, realmente, pretendemos é apenas deixar os testemunhos e, ao mesmo tempo, prestar as nossas homenagens às pessoas que tendo sofrido o que descrevem e tendo tido resultados com a utilização dos produtos da 4Life, nomeadamente através dos Factores de Transferência, têm a CORAGEM de testemunhar as suas experiências.
É preciso deixar BEM CLARO que os produtos 4Life NÃO são medicamentos nem a sua utilização evita a consulta dos médicos.
Estamos a falar de suplementos que contêm FACTORES de TRANSFERÊNCIA que têm a capacidade de reforçar de forma ESPANTOSA o nosso Sistema Imunitário. E é o reforço desse Sistema que permite ao nosso organismo reagir de forma tão FORTE às agressões a que está sujeito.

QUE CADA UM TIRE AS SUAS CONCLUSÕES.

Testemunho de ajuda no Cancro

Depoimento Pessoal de Dena Guidice
"O meu nome é Dena Guidice e quero partilhar convosco como o Transfer Factor me salvou a vida.
Em Novembro de 1998 os médicos diagnosticaram-me um cancro pulmonar. Nesse momento, recomendaram-me que o melhor curso de tratamento para o meu cancro seria radiação e quimioterapia simultaneamente. Comecei imediatamente com ambos tratamentos e deram-me as doses mais altas de tratamento possível. Durante os seguintes 90 dias, padeci de todos os efeitos secundários devido a este tratamento, muita debilidade, vomitava diariamente, comecei a perder o cabelo sendo a perda muito importante e severa.
Os tratamentos de radiação e quimioterapia acabaram em Fevereiro de 1999.A 25 de Março de 1999, eu fui ao hospital para receber um tratamento cirúrgico (conforme os meus médicos tinham planeado). Os Médicos removeram um tumor do meu pulmão direito juntamente com parte do pulmão (um terço 1/3) e também removeram três secções das minhas costelas. A cirurgia resultou muito bem, e os médicos acreditaram que tinham tirado todo o cancro com sucesso do meu corpo. Depois da minha cirurgia tive que seguir com o meu tratamento de quimioterapia por 12 semanas adicionais, desde Maio 1999 até Julho de 1999, o meu corpo ficou tão débil que tudo o que anteriormente podia fazer, já era um sonho no passado e tinha que ficar todo o dia na cama. Por esta altura, eu tinha perdido todo o meu cabelo. As minhas unhas e dentes ficaram tão porosos que comecei a perdê-los também. Perdi o meu apetite completamente e cheguei a um ponto que somente pesava 44 kilos.
Enferma como estava esse verão, eu ainda tinha a esperança que para o Outono eu ficaria bem mais forte depois de terminar os tratamentos de quimioterapia. A minha esperança era poder gozar e viver de novo.
No entanto em Agosto, eu encontrei outro tumor em baixo do meu braço esquerdo. Tiveram-me que tirar esse tumor e as análises de laboratório confirmaram depois dessa cirurgia, que já tinha o cancro linfático maligno (um dos cancros mais perigosos que existem) e do que o cancro tinha invadido todo o meu corpo.
Os médicos disseram-me que já não havia mais nada que eles pudessem fazer por mim. Eu estava em fase 4 (fase final). Com este cancro eu tinha um máximo de 4 a 6 meses de vida. Eles disseram-me que fizesse tudo o que eu sempre quis fazer na vida dentro dos próximos 45-60 dias porque depois disso, eu estaria demasiado débil e demasiado doente. Durante esse tempo, convenceram-me de que eu ia morrer, especialmente porque os médicos nunca tinham visto uma pessoa viver mais de 8 meses, na minha condição e com meu tipo de cancro.
Nesta altura, eu partilhei estas notícias devastadoras com os meus filhos.
Todos nós decidimos fazer uma viagem especial de família ao Havai.
Na minha própria mente, eu reconheci que esta viagem seria o meu "adeus à minha família". Eu não tinha nem uma grama de esperança, já estava preparada mentalmente e tinha aceitado morrer.
Nesta altura (uma semana em Outubro) meu filho convence-me finalmente que começasse a usar o Transfer Factor.
Na minha mente, eu estava 100% convicta que este produto não podia fazer nada para mim, mas mesmo assim, comecei a usá-lo. Eu comecei a tomar seis cápsulas de Transfer Factor Plus e seis cápsulas de Transfer Factor Classic, todos os dias. Passados 30 dias, eu comecei a sentir-me um pouco mais forte e o meu apetite começou a regressar, mas eu ainda pensava mentalmente que continuava a não ter muito tempo de vida.
Continuei utilizando o produto. Em Janeiro 2000, aproximadamente 90 dias depois de começar a utilizar o Transfer Factor, encontrava-me ainda mais forte e tinha aumentado 3,5 kilos de peso. Continuei a tomar TF todos os dias. Já passaram mais de 7 meses desde que eu comecei a tomar o Factor de Transferência (Maio de 2000). Aumentei um total de 13 kilos, sinto-me bem mais saudável do que me sentia anteriormente durante os últimos 2 anos. Fui visitar o meu médico há 2 semanas atrás, e ele disse-me que, eu sou um “Milagre vivo” e que eu não tenho nenhum sinal de cancro. O Transfer Factor Plus não somente me salvou a vida, deu-me uma esperança para o futuro. Um futuro bem mais saudável.
Obrigado aos Factor de Transferência e à 4Life Research por nos trazer esta descoberta tão maravilhosa."

segunda-feira, 22 de março de 2010

SABE REALMENTE O QUE SÃO FACTORES de TRANSFERÊNCIA?

Perguntas Frequentes

Aqui poderá encontrar respostas para algumas perguntas frequentes relacionadas com os factores de transferência.

O que são os Factores de Transferência?

Os factores de transferência (Transfer Factors) são um sistema de comunicação imunológica formado por pequenas cadeias péptidas compostas por 44 aminoácidos. Foram desenhados pela natureza para armazenar e transferir informação imunitária.


Como foram descobertos os Factores de Transferência?

Em 1949 o Dr. H. Sherwood Lawrence descobriu uma substância revolucionária e determinou que através dela, uma resposta imune melhorada pode ser transferida de um indivíduo recuperado de uma doença específica para um receptor que não tenha sofrido a dita doença. O Dr. Lawrence denominou esta substância de factores de transferência.

O que é o colostro?




O colostro é o primeiro leite que uma mãe produz imediatamente depois de dar à luz.

O que levou os investigadores a procurar Factores de Transferência no colostro?

Através da observação, deram-se conta que quando os vitelos não eram amamentados, frequentemente morriam em pouco tempo apesar de serem bem alimentados. A causa era geralmente uma infecção fatal provocada por microrganismos comuns. As investigações estabeleceram que a mãe estava administrando factores de transferência à sua prole através do colostro.

Quais são as vantagens de usar o colostro de vaca como fonte de Transfer Factor XF da 4LIFE?

Os factores de transferência não são específicos, o que significa que podem transferir imunidade aos humanos ainda que provenham de uma espécie diferente. As vacas têm sistemas imunológicos heróicos, o que lhes permite sobreviver debaixo de condições extremamente anti higiénicas. Estes sistemas imunológicos heróicos produzem formas potentes de factores de transferência.

Como trabalham os Factores de Transferência?

Os factores de transferência são formados por três fracções separadas, que equilibram o sistema imunológico para que produza uma resposta mais eficaz. Estas três fracções são o INDUTOR, o ANTÍGENO ESPECÍFICO, e o SUPRESSOR. A fracção do indutor proporciona um treino básico para pôr “em forma” o sistema imunológico. A fracção do antígeno específico é como um conjunto de cartazes de “Criminoso Procurado” que ajudam a identificar características importantes dos inimigos infecciosos. Finalmente, a fracção do supressor é capaz de reconhecer a derrota do inimigo e então acalmar o sistema imunológico novamente até o fazer regressar ao seu nível normal. Ao contrário da maioria dos suplementos para o sistema imunológico que somente proporcionam reforço de actividade, os Factores de Transferência contribuem para uma função imune equilibrada. Os factores de transferência também proporcionam inteligência imunológica. São a informação e a educação as que ajudam a melhorar o sistema imunológico mantendo-o activo e eficaz.


As pessoas alérgicas ao leite podem usar o Transfer Factor XF?

Sim. Os factores de transferência não são alergénicos. Os alérgenos comuns presentes no colostro tais como as imunoglobulinas e a caseína são removidos dos produtos Transfer Factor.

As pessoas que não toleram a lactose podem usar o Transfer Factor XF?

Sim. As pessoas que não toleram a lactose podem consumir até 3 gramas de lactose sem dificuldade devido à digestão bacteriana colónica. A quantidade de lactose residual está muito por debaixo destes limites de sensibilidade.

Existe alguma diferença entre o colostro seco e Transfer Factor XF da 4LIFE?

Ao contrário do colostro, o Transfer Factor XF contém uma quantidade concentrada de factores de transferência, o ingrediente activo encontrado no colostro. Através de um processo patenteado da 4Life Research, os factores de transferência são separados de outros componentes encontrados neste “primeiro leite”. Os factores de transferência não são afectados pelo processo digestivo e são facilmente absorvidos, ao contrário dos anticorpos e proteínas encontradas no colostro. Além de tudo isto, o Transfer Factor XF é submetido a um processo de estabilização especial para proteger a eficácia dos factores de transferência.

Existe alguma informação sobre a segurança de Transfer Factor da 4Life?

Em 1980, a Administração de Alimentos e Medicamentos (FDA) aprovou o uso do colostro bovino e em 1985 o uso do Factor de Transferência bovino para consumo humano. Desde o início da sua utilização, não houve nenhuma informação de reacções adversas, mesmo quando foi clinicamente administrado em excesso ou consumido de forma repetitiva durante largos períodos de tempo.

Existe alguma validação científica dos Factores de Transferência?
Desde o trabalho pioneiro do Dr. Lawrence, celebraram-se dezenas de conferências internacionais relacionadas com este tema tendo sido gastos cerca de 40 milhões de dólares em investigações científicas, dando lugar a mais de 4.000 artigos científicos que documentam os resultados. O Dr. William J. Hennen foi autor de duas publicações que compilam a grande quantidade de informação disponível sobre os factores de transferência, bem como sobre os componentes adicionais encontrados em Transfer Factor Plus™.

Quem pode beneficiar-se por tomar Transfer Factor XF?

Todo aquele que deseje fazer prevenção da sua saúde ou necessite de uma melhoria da sua imunidade poderá beneficiar por tomar Transfer Factor XF.

As mulheres grávidas podem tomar Transfer Factor XF?



Não foi registada qualquer tipo de resposta adversa ao tomar Transfer Factor XF durante a gravidez, mas como com qualquer outro suplemento, consulte o seu médico assistente.



Transfer Factor XF é seguro para as crianças?

As moléculas de factores de transferência do colostro foram desenhadas pela natureza para os recém-nascidos. Não existe uma limitação de idade no que diz respeito à administração de factores de transferência às crianças.

Por que devo usar o Transfer Factor XF se recebi informação imune quando era criança?

Os factores de transferência que recebemos das nossas mães quando éramos crianças ajudaram a educar e fortalecer os nossos sistemas imunológicos para as ameaças dessa altura. Hoje mais do que nunca estamos expostos a novas ameaças ou desafios, enquanto os nossos sistemas imunológicos se debilitam com a idade. Fortalecer o nosso sistema imunológico pode ser decisivo para a saúde ao longo de toda a nossa vida.

Com que frequência devo tomar o Transfer Factor XF?

Todos os dias os nossos corpos criam novas células imunes que necessitam de instrução. Para satisfazer esta necessidade, o Transfer Factor XF deve ser tomado diariamente para proporcionar ao sistema imunológico um apoio contínuo contra um ambiente cheio de novos e inesperados desafios à saúde. Tomar Transfer Factor XF diariamente proporciona um apoio eficaz ao nosso sistema imunológico.

Como podem os bebés ou meninos que não podem engolir as cápsulas tomar o Transfer Factor XF?

Aos bebés nunca se deve administrar nem sequer as pequenas cápsulas para que as engulam. Pode-se facilmente abrir a cápsula e misturar o conteúdo com a água ou com puré. O Riovida, por ser um sumo, é um produto de fácil administração para estas situações.

Qual a diferença entre o Transfer Factor XF e o Transfer Factor Plus?


O Transfer Factor XF melhora a resposta imune. Estas moléculas trabalham como instrutores para as células do sistema imunológico. Esta instrução ajuda o sistema imunológico a reconhecer e lutar contra os invasores externos. Os factores de transferência são moduladores imunes, o qual significa que podem manter uma função imune saudável administrando Factores Indutores, Factores Antígenos Específicos e Factores Supressores. O Transfer Factor Plus tem ingredientes adicionais de aumento da imunidade que ajudam a fortalecer, proporcionando uma maior capacidade de resposta.


Como se compara a ingestão dos Factores de Transferência na forma oral com as injecções dos Factores de Transferência?

Os benefícios são similares sejam os factores de transferência administrados de forma oral ou por injecções. Os factores de transferência injectáveis são geralmente preparados a partir do sangue, enquanto que os produtos de factores de transferência orais são preparados a partir do colostro do colostro e da gema do ovo. Ambos são bem absorvidos pelo corpo, mas os produtos de factores de transferência orais podem ser consumidos diariamente sem a incomodidade e insegurança das injecções.

Os produtos Transfer Factor podem ajudar-me numa doença medicamente diagnosticada?

Os produtos Transfer Factor estão desenhados para manter uma função imunológica normal, um componente básico da saúde integral. Foi provado cientificamente que existe uma forte relação entre as nossas reservas adaptativas, que ajudam a manter um estado saudável, e o estado do nosso sistema imunológico. Um sistema imunológico forte é a chave para manter e recuperar uma boa saúde quando enfrenta uma ampla gama de desafios.

Como reage o Transfer Factor XF ao calor?

Os factores de transferência retêm a sua actividade quando são pasteurizados, sobrevivendo ao calor. Ainda assim, recomenda-se armazenar os produtos com Transfer Factor XF num lugar fresco e seco.

Devo ter conhecimentos de ciências ou medicina para partilhar a mensagem do Transfer Factor?

Não! O Transfer Factor é um componente da complexa saúde imunológica, ilustra um princípio simples do qual todos se podem beneficiar. Na actualidade as pessoas procuram soluções para manter o seu corpo e o sistema imunológico em perfeitas condições de funcionamento. Mães, pais, adolescentes, jovens, crianças e idosos enfrentam cada vez mais e mais desafios diários à sua saúde. Partilhando a informação disponível neste site, a maior parte das perguntas mais comuns serão respondidas.