sábado, 1 de maio de 2010

O Néctar dos Bebés


O leite materno é o único alimento capaz de satisfazer todas as necessidades nutricionais durante os primeiros seis meses de vida.




Mas oferece mais vantagens.



Vantagens da Amamentação: Para o bebé

Nutricionais
- Relação caseína / lactoalbumina mais adequada que a do leite de vaca
- Boa relação cálcio/fósforo
- Elevada biodisponibilidade de ferro
- Boa fonte de ácidos gordos polinsaturados (ARA e DHA)
- Boa fonte de vitamina A que contribui para diminuir a prevalência de infecções respiratórias; protecção da mucosa intestinal; integridade do tecido epitelial e visão.

Imunológicas
- Contém glutamina e arginina que possuem uma acção anti-inflamatória
- Fornece imunoglobulinas, lisozimas e oligossacáridos- Efeito protector sobre as alergias.

Psicológicas
- Facilita o estabelecimento do vínculo afectivo entre mãe e filho, proporcionando a ambos um momento de felicidade.

Vantagens da Amamentação: Para a mãe

- Ajuda na recuperação do peso;
- Diminuição do risco de ocorrência de osteoporose, diabetes, cancro da mama e do ovário (a amamentação melhora a mineralização óssea; cada ano de amamentação reduz o risco de desenvolvimento a diabetes tipo II em 15%; estudos comprovam que a amamentação durante dois a sete meses provoca uma redução de 20% na incidência de cancro dos ovários);
- Fortalecimento da auto-estima;
- Satisfação emocional;
- Promove o vínculo afectivo entre mãe e filho;
- Custo económico: nulo.


Riscos do não-aleitamento

Enterocolite necrotizante: Bebés que consomem fórmulas infantis têm cinco a 10 vezes maior probabilidade de desenvolverem enterocolite necrotizante (quadro intestinal grave) do que bebés que ingerem leite materno.

Obesidade: Bebés que não são amamentados têm maior propensão de virem a sofrer de excesso de peso durante a infância e adolescência.

Diabetes: O desenvolvimento de diabetes tipo I pode estar relacionado com a alimentação do bebé durante os primeiros meses.

Asma: Estudo revelou que a introdução de outros leites diferentes do leite humano, antes dos quatro meses, resultou no aumento em 24% do risco em asma.

Alergias: Bebés alimentados com fórmulas infantis têm maior probabilidade de sofrerem de alergias.

Gastroenterites: Bebés que não são amamentados têm maior risco de contraírem rota vírus, sendo os seus sintomas mais severos.

Infecções respiratórias: Bebés que não foram exclusivamente alimentados com leite materno, durante os dois primeiros meses de vida, ou não foram parcialmente alimentados ao peito durante seis meses, têm quatro vezes maior probabilidade de terem quatro ou mais visitas ao médico.

Infecções do aparelho urinário: Bebés não amamentados têm cinco vezes maior probabilidade de sofrerem infecções urinárias do que bebés amamentados com leite materno.

Leucemia: A incidência é maior nos bebés que foram amamentados com leite materno.

Cárie dentária: Crianças que foram amamentadas desenvolvem menos cáries do que crianças não sujeitas ao aleitamento materno.

Sem comentários:

Enviar um comentário