segunda-feira, 10 de maio de 2010

PSORÍASE

Apesar de não ser contagiosa, ainda é alvo de um grande preconceito. Saiba mais sobre esta doença da pele que afecta 250 mil portugueses



"A psoríase não é contagiosa, contagioso é o preconceito" , foi o lema da campanha de sensibilização lançada pela Associação Portuguesa da Psoríase, PSO Portugal, a propósito do Dia Mundial da Psoríase (29 de Outubro), em 2007.
De facto, para além de todos os sintomas físicos que envolve, a psoríase também tem um forte impacto a nível familiar, social, profissional, emocional e psicológico dos doentes, razão pela qual se torna importante conhecê-la para lutar contra o preconceito a ela associado.
A psoríase é uma doença crónica da pele, não contagiosa, que pode surgir em qualquer idade. Caracteriza-se, geralmente, pelo aparecimento de lesões vermelhas, espessas e descamativas, que afectam sobretudo os cotovelos, os joelhos, a região lombar e o couro cabeludo.
No entanto, tanto o aspecto, como a extensão, a evolução e a gravidade das lesões variam bastante de doente para doente, sendo que, nos casos mais graves, podem cobrir extensas áreas do corpo. A psoríase também pode aparecer à volta e debaixo das unhas, que aumentam de espessura e se deformam.



Quais as suas causas?
A origem da psoríase não é totalmente conhecida. Contudo, sabe-se que é influenciada por factores genéticos e que envolve alterações no funcionamento do sistema imunitário, que provocam inflamação e aumento da velocidade de renovação das células da epiderme.
Apesar de ser geneticamente determinada não quer dizer que a hereditariedade de pais para filhos seja obrigatória. No entanto, a probabilidade da doença surgir é maior em pessoas com familiares portadores da mesma.

Como se diagnostica?
Inicialmente, pode ser difícil para o especialista diagnosticar psoríase, uma vez que pode ser confundida com outras doenças cutâneas que também se manifestem através de lesões avermelhadas e descamativas, e que possam afectar as zonas típicas da psoríase.
O diagnóstico, deve, por isso, ser feito por um dermatologista que, à medida que a doença avança, consegue reconhecer o seu padrão de escamação característico. Para confirmar o diagnóstico, o especialista pode recorrer a uma biopsia de pele.



Qual o tratamento?
Apesar de não existir uma cura definitiva para a psoríase, existe um conjunto de tratamentos que, utilizados isoladamente ou em associação, aliviam e controlam os seus sintomas.


Mas como, já visto atrás, esta situação tem a ver com um mau funcionamento do sistema imunitário então será FUNDAMENTAL reforçar e melhorar o referido sistema.


É aqui que entram os produtos 4Life. Com eles podemos esperar um reforço SIGNIFICATIVO do sistema imunitário e a consequente melhoria das consequências desse mal chamado PSORÍASE.





Podemos usar o Transfer Factor e o antioxidante RioVida da 4Life.










Para termos a certeza que esta solução funciona nada como lermos e/ou ouvirmos os testemunhos publicados sobre a Psoríase.


ATENÇÃO - Os produtos 4Life NÃO são medicamentos nem a sua utilização evita a consulta dos médicos.Estamos a falar de suplementos que contêm FACTORES de TRANSFERÊNCIA que têm a capacidade de reforçar de forma ESPANTOSA o nosso Sistema Imunitário. E é o reforço desse Sistema que permite ao nosso organismo reagir de forma tão FORTE às agressões a que está sujeito.

1 comentário:

  1. tenho psoríase e sei como é difícil lidar com isso. mas a ajuda dos familiares é o fator mais importante pro tratamento psicológio!

    ResponderEliminar